Público ganha cinco décadas de Wilker após um ano sem ele

Mostra sobre a carreira cinematográfica do ator começa na próxima terça, na Caixa Cultural

Por O Dia

Rio - A ideia de fazer uma mostra sobre José Wilker andava empolgando não só o curador Marcelo Laffitte, como o próprio homenageado. Os dois tocavam figurinhas sobre o projeto, até que, há exato um ano, completado hoje, de repente, veio a notícia: “Você já sabe quem morreu?”, como lembra-se Laffitte, que recebeu de sua assistente a notícia da perda do amigo, por enfarte fulminante.

Na despedida do ator, no Teatro Ipanema, onde ele fez história, veio a decisão: a mostra tinha que sair de qualquer jeito — o que acontece a partir da próxima terça-feira, na Caixa Cultural, quando será lançada ‘José Wilker: 50 Anos de Cinema’ e mais um catálogo com textos de 34 amigos do ator.

“Não queria contar a trajetória do Zé de uma forma acadêmica. Então, convidei alguns amigos em comum para escrever sobre ele”, diz o curador, que preferiu seguir um caminho mais afetivo na montagem do projeto. “Começou com quatro pessoas e, no final, chegamos a 34. Falei para cada um escrever um texto a partir de um fato vivido junto ao Zé e fui organizando tudo em ordem cronológica”, explica.

Mostra sobre a carreira cinematográfica de José Wilker começa na próxima sextaMaíra Coelho / Agência O Dia

Biógrafo por acaso, Laffitte colheu passagens da vida de Wilker, com companheiros de jornada artística, como Zezé Motta, Cacá Diegues, Betty Faria, Maitê Proença e Ney Latorraca. Além de amigos de infância, como Sávio Leite Pereira, que descreve a época que estudou com o ator no ginásio, em Juazeiro do Norte. “Ele me procurou com a ideia de fundarmos um clube para jovens, com finalidades culturais”, diz ele em seu texto, sobre a iniciativa de Wilker aos 14 anos — compromisso logo abandonado por a dupla preferir ao cinema.

“Tem muita história que não foi escrita também. A vida do Wilker mudou por causa do Golpe. Ele fugiu de Recife para o Rio de Janeiro por causa da repressão. A família dele o mandou para a casa de um tio daqui. Mas o Zé nunca chegou lá”, conta Laffitte.

“Ele acabou indo para a casa de vários amigos que moravam no Rio, em meados de 64. Dizem que chegou a dormir em ônibus, pois não tinha grana.” Nessa lista de anfitriões, estão camaradas de longa data, como José Celso Martinez Corrêa e o cineasta Braz Chediak. Inclusive, Braz, muitos anos depois de abrir as portas de casa para Wilker, começou uma parceria cinematográfica com ele a partir de ‘Bonitinha Mais Ordinária’, em 1980.

“A mostra é sobre os 50 anos de cinema do Zé. Mas, no teatro, a carreira tem mais tempo. O engraçado é que, aos 18 anos, ele não queria ser ator, mas diretor de cinema”, destaca o curador. E, para quem acha que Wilker só realizou esse desejo em 2013, com o filme ‘Giovanni Improtta’, a mostra revela também o documentário ‘Arraes de Volta’, comandado por ele, em 1979. “O filme fala do retorno de Miguel Arraes do exílio”, explica Laffitte, sobre um dos 34 títulos que selecionou para a programação.

Aliás, a seleção da mostra passou por 72 filmes. Surpreendeu e quase enlouqueceu o curador. “Se levarmos em conta que o sujeito também fazia teatro, televisão e escrevia muito, esse número é impressionante. No início, quis exibir os filmes menos conhecidos dele, mas muita coisa se perdeu. Então, comecei a separar os títulos mais importantes para a vida do Wilker, depois os em que ele tinha mais importância na história e, por fim, os filmes mais importantes para a história do nosso cinema”, lista o curador.

Cine Caixa

A mostra ‘José Wilker: 50 Anos de Cinema’ vai do dia 7 a 19 de abril. Na ocasião, será lançado um catálogo com textos de 34 amigos do ator, além de uma programação composta por 34 filmes. Entre os títulos selecionados estão ‘Os Inconfidentes’ (1971), no qual o ator interpretou seu primeiro protagonista na telona, e ‘Dona Flor e Seus Dois Maridos’ (1976), uma das maiores bilheterias do cinema nacional.

Caixa Cultural. Avenida Almirante Barroso 25, Centro (3980-3815). Sessão: R$ 4. Programação completa no site: www.mostrawilker.com.br.

Últimas de Diversão