Manutenção, taxas e conta de luz altas fecham Casa Daros

Espaço encerra atividades em dezembro

Por O Dia

Rio - Inaugurada há dois anos, a Casa Daros vai fechar as portas em dezembro. De acordo com o diretor do espaço, Dominik Casanova, a decisão de encerrar as atividades no Rio teve como um dos principais fatores o alto custo de manutenção do casarão em Botafogo, já que a instituição, sediada na Suíça, não recorre a patrocinadores nem a recursos governamentais. 

Casa Daros%3A desde a abertura%2C 225 mil visitantes e 20 exposições Carlo Wrede / Agência O Dia


“A Daros é uma entidade particular, com fundos limitados. A decisão de encerrar as atividades não tem apenas uma causa. Um dos problemas é que a operação ficou mais cara do que a instituição estimava, por causa de questões burocráticas, taxas, seguros das obras de arte e até o custo da energia, que aumentou 40%”, explica Casanova. “É uma opção dos donos não ter patrocínio e não receber dinheiro público.”
O destino do casarão de Botafogo, comprado por R$ 16 milhões e reformado por R$ 67 milhões, ainda é incerto. No entanto, Dominik Casanova afirma que o desejo da instituição é manter o espaço como “uma plataforma de arte e cultura”, um legado para a cidade. Uma das opções da Daros é encontrar um parceiro que queira ocupar o local com exposições.

“Vai depender da negociação. Podemos alugar a casa e a outra instituição cuidar da manutenção e montar sua própria programação, mantendo a casa aberta ao público. Se o interessado quiser, a casa pode ser vendida também, mas a condição é de que seja um espaço cultural”, diz.

PRESERVAÇÃO DO ACERVO

Se continuar proprietária do casarão, a Daros vai manter um núcleo administrativo na cidade. Caso contrário, não terá mais representação no país. Seja como for, as 1.200 obras que fazem parte da Coleção Daros Latinamerica, com 120 artistas da América Latina, serão mantidas na sede da instituição, em Zurique. “A Daros tem interesse em continuar divulgando seu acervo e emprestá-lo a museus do mundo inteiro”, garante Casanova.

Desde que foi inaugurada, em março de 2013, a Casa Daros recebeu mais de 225 mil visitantes para as suas 20 exposições. Segundo o diretor, esse número superou as expectativas da instituição: “O público foi bem acima do que esperávamos, a resposta foi muito boa.”

Atualmente, a exposição ‘Made in Brasil’ está em cartaz. Em setembro, a casa inaugura a mostra ‘Ficción y Fantasía — Arte de Cuba’, com 140 obras de artistas cubanos pertencentes à coleção Daros Latinamerica, que foram produzidas entre 1975 e 2008. A exposição ficará aberta ao público até o dia 13 de dezembro, quando a Casa Daros encerrará suas atividades no Rio.

Últimas de Diversão