O DIA acompanha ensaio de Alcione para número em homenagem a Maria Bethânia

'Marrom' cantará em cerimônia do Prêmio da Música Brasileira, depois de amanhã (quarta-feira) no Theatro Municipal

Por O Dia

Rio - Alcione está excitadíssima para cantar a música ‘Negue’, em um número especial na cerimônia do Prêmio da Música Brasileira, depois de amanhã (quarta-feira) no Theatro Municipal. “Quando canto essa música, a boca fica molhada, tudo fica molhado!”, diz a Marrom, brincando com os densos versos da composição de Adelino Moreira e Enzo de Almeida Passos — “Negue que me pertenceu/Que eu mostro a boca molhada e ainda marcada pelo beijo seu”.

Alcione durante ensaio Uanderson Fernandes / Agência O Dia

A canção é um clássico da interpretação de Maria Bethânia, a homenageada este ano pela premiação, que vai revelar ainda seus vencedores em categorias que vão da MPB à música clássica. “Quem é o menino que vai cantar comigo?”, pergunta Alcione. E logo se assusta, ao saber que Johnny Hooker é quem está a seu lado.

“Vou cantar com uma deusa para homenagear outra deusa!”, emociona-se o jovem pernambucano (que está morando no Rio), de 24 anos, ele mesmo um concorrente na premiação como Melhor Cantor, na categoria Canção Popular, pelo trabalho em seu álbum ‘Eu Vou Fazer Uma Macumba pra Te Amarrar, Maldito!’. “Quero ganhar, mas não vou arrancar meus cabelos por causa disso. O prêmio maior é cantar com ela”, garante Hooker.

Alcione e Hooker não se conheciam pessoalmente, e se encontraram pela primeira vez no estúdio para o ensaio da apresentação, que O DIA acompanhou com exclusividade — além de ‘Negue’, Alcione faz um dueto com Hooker em ‘Lama’ (de Aylce Chaves e Paulo Marques, dos versos “Se eu quiser fumar, eu fumo/Se eu quiser beber, eu bebo”), em número completado por Letícia Sabatella recitando um texto presente nos shows de Maria Bethânia, na ligação de uma canção com outra. “É uma responsabilidade muito grande, mas procuro não dar importância para isso”, considera Johnny Hooker.

Mas, na hora, pesou estar ali ao lado da ‘ídola’. Sob o olhar severo de Zélia Duncan, que assina o roteiro da cerimônia, a voz do garoto tremeu, mas, no fim, tudo se acertou. Alcione, normal, arrepiou e arrancou aplausos desde a primeira nota (Zélia gritava um “u-huuu...” a cada estrofe, conforme a música avançava). “‘Negue’ é uma grande canção, e fiquei feliz em saber que a Bethânia queria que eu cantasse essa”, entusiasma-se a Marrom.

A amizade entre as duas cantoras vem de muito antes. “Bethânia me entregou meu primeiro Disco de Ouro. Foi ela que mandou um recado para o (produtor Roberto) Menescal: ‘Quero dar o Disco de Ouro para esta menina!’ A partir daí ficamos muito amigas”, rememora Alcione.

A festa contará ainda com a participação da homenageada, além de Fernanda Montenegro, Caetano Veloso e Lenine. Terá, também, o encontro inédito de Adriana Calcanhotto, Arnaldo Antunes e Chico César. Dira Paes e Alexandre Nero serão os mestres de cerimônia. No próximo dia 13, às 22h, o canal Viva exibe pela primeira vez na televisão por assinatura o Prêmio da Música Brasileira, com Cissa Guimarães entrevistando os finalistas e convidados nos bastidores.

‘EU & ELA’ CANCELADO

Após o fim da turnê comemorativa dos 25 anos do Só Pra Contrariar, Alexandre Pires deixou o grupo de pagode e anunciou uma turnê especial, com Alcione. O projeto, que rodaria o Brasil com os dois no palco cantando juntos os sucessos de suas carreiras e ainda viraria um DVD, foi cancelado. Dizem que o desentendimento deu-se entre as gravadoras dos dois artistas.

Últimas de Diversão