Febre nos anos 90, gargantilhas voltam a enfeitar meninas de todas as idades

Moda que ressurgiu do túnel do tempo divide opiniões

Por O Dia

Rio - Depois da cintura alta, das calças pantalona e blusas ‘cropped’ — que deixam a barriga à mostra —, é a vez das gargantilhas tipo ‘choker’ saírem do fundo da gaveta. Sucesso da década de 90, o acessório retornou às passarelas em um desfile da grife Ralph Lauren e causou surpresa nos amantes da moda, que não esperavam ver os colares apertados (choker, em inglês, significa sufocante) de volta à lista de desejos das mulheres.

Os modelos e preços variam. O acessório agora vem em várias cores e com diversas opções de pingentes, além de serem confeccionados em diferentes materiais, como tecido, couro e pedras. Pela Internet, é possível encontrar exemplares à venda por até R$ 4,5 mil, como a peça banhada a ouro e assinada pela estilista Aurelie Birdman. Mas o modelo que está conquistando o pescoço das cariocas é a boa e velha gargantilha feita de tiras de plástico entrelaçadas, que custa entre R$ 2 e R$ 3,50 nas lojas do Saara, no Centro.

As amigas e estudantes Laires%2C Emily e Tainá%3A opiniões ficam divididas sobre o acessório do momentoMaíra Coelho / Agência O Dia

A fotógrafa Fernanda Mendes, de 34 anos, não esperava voltar a usar o acessório que fez parte da sua adolescência. “Eu usava muito e fiquei surpresa com a volta. Mas a moda é assim mesmo, né? Muita coisa que a gente usava está voltando”, afirmou Fernanda, que levou a sobrinha Maria Eduarda para escolher um modelo. A pequena demonstrou surpresa ao saber que o item era popular muito antes de seu nascimento. “Tenho uma preta e vou pedir uma rosa para minha mãe. Na escola todo mundo usa. É legal saber que minha tia usava também quando era mais nova”, disse Maria Eduarda, de 9 anos.

A estudante Ana Júlia Freitas, 15, também aderiu à febre. “Acho linda e combina com tudo”, afirmou. O modelo também caiu no gosto da estudante de Jornalismo Cecília Boechat, 19. “Gosto quando o colar aparece. Colares mais longos sempre somem embaixo da roupa.”

A gargantilha, entretanto, divide opiniões e já foi citada em blogs de moda como um dos acessórios que muita gente “tem vergonha de admitir que usou”. E foi causa de discordância entre amigas. “Não acho muito bonita. Um monte de coisa que a gente não gostava voltou a ser popular”, disse Lairis. A colega Emilly se declarou ser fã das ‘reciclagens’, mas Tainá reprovou: “Acho horrorosa, não combina com nada.”

Produto vira fonte de renda

Apesar da polêmica, as gargantilhas são sucesso de vendas em lojas de bijuterias e atraem pessoas de todas as idades. A vendedora Carla Martins, de 39 anos, trabalha em uma das lojas do Saara e confirmou a popularidade do produto. “Muita gente diz que está fora de moda, mas continuam procurando. Aparecem muitas mães dizendo que usaram muito e agora querem comprar para as filhas”, conta.

Para o vendedor Felipe Freitas, o acessório agrada principalmente ao público infanto-juvenil. “A procura aumentou bastante entre adolescentes e crianças. As sem pingentes são as que vendem mais.”

A estudante de Artes Cênicas Beatriz Oliveira aproveitou o retorno das gargantilhas para gerar uma nova fonte de renda. Utilizando tiras de nylon e esmaltes de unha, Beatriz produz os colares que vende por até R$ 15. “Percebi que estava voltando e resolvi aprender a fazer. Vendendo duas gargantilhas, já cubro os gastos para produzir dez. É um lucro muito bom”, completou.

ESTILO: A consultora de moda Rafaela Cardoso dá dicas para arrasar no visual:

PERSONALIDADE
Evite modismo e prefira modelo que tenha a ver com seu estilo.

‘PESCOÇÃO’
Gargantilhas grossas ou de cores escuras dão impressão de pescoço mais grosso.

PONTOS DE LUZ
Modelos finos e cores dourada e prateada iluminam.



Últimas de Diversão