Discos gravados por Ney Matogrosso nos anos 1970 são reeditados em caixa

Ao que parece, matrizes foram recuperadas, pois a caixa ‘Anos 70’ já alardeia na contracapa que os seis títulos da atual caixa foram remasterizados a partir das matrizes dos LPs originais

Por O Dia

Rio - Em 2008, a caixa ‘Camaleão’ embalou reedições em CD de 16 álbuns de Ney Matogrosso. Mas os três mais antigos — ‘Água do céu-pássaro’ (1975), ‘Bandido’ (1976) e ‘Pecado’ (1977) — foram reeditados a partir de cópias em vinil com o aviso de que as matrizes originais estavam deterioradas.

Ao que parece, as matrizes foram recuperadas, pois a caixa ‘Anos 70’, projeto de Elaine Medeiros para a Warner Music, já alardeia na contracapa que os seis títulos da atual caixa foram remasterizados a partir das matrizes dos LPs originais. Houve melhora no som.

Ney Matogrosso tem os seis primeiros álbuns da carreira solo relançados na caixa ‘Anos 70’%2C da Warner MusicReprodução do encarte do álbum 'Feitiço'

Já nas lojas, a caixa ‘Anos 70’ traz reedições dos seis primeiros álbuns da carreira solo do cantor, que saiu do grupo Secos & Molhados em 1974. Além dos três discos mencionados, há ‘Feitiço’ (1978), ‘Seu tipo’ (1979) e o pouco ouvido ‘Sujeito estranho’ (1980).

Os quatro primeiro álbuns da caixa são disco sensuais e até experimentais (caso do primeiro ‘Água do céu-pássaro’). Em ‘Seu tipo’, Ney rasgou a fantasia sem entrar no armário. O bom gosto do repertório é a tônica dos seis discos. Feitos para a caixa de 2008, os textos de Rodrigo Faour expõem as cores iniciais do ‘Camaleão’.

Últimas de Diversão