Drag Queen brasileira deixa a Baixada para brilhar no 'The Voice' irlandês

Emmie Reek, chamou a atenção dos jurados ao interpretar ‘One And Only’, de Adele

Por O Dia

Rio - O caminho percorrido de Nova Iguaçu a Dublin foi cansativo e cheio de turbulência. De boteco em boteco, Emery Augusto, 27 anos, formado em Educação Física, aos 18, ganhava apenas R$ 50 para cantar por quatro horas. Animado, tentou a sorte no extinto programa ‘Ídolos’, em três ocasiões, mas foi consecutivamente gongado pelos jurados. Mas o mundo dá voltas, e na Irlanda, onde vive há um ano e meio, ele brilhou. Como a drag Emmie Reek, chamou a atenção dos jurados e do público em sua primeira apresentação às cegas, no ‘The Voice’ irlandês ao interpretar ‘One And Only’, de Adele.

Emmie em frente ao estúdio do ‘The Voice’Divulgação

Ao virar as quatro cadeiras, os jurados Una Foden, Rachel Stevens, Bressie e Kian Egan ficaram surpresos ao se depararem com uma drag queen, a primeira a disputar o reality irlandês e a terceira no mundo. No ‘The Voice Brasil’, Deena Love se destacou em 2014. De um dia para o outro, Guto, como é chamado pelos amigos cariocas, tomou conta das manchetes dos principais jornais da Irlanda. Ele, não, Emmie Reek. E apesar da maquiagem pesada usada por Emmie, Emery já foi reconhecido nas ruas. “Fiquei feliz, mas nem tenho essa vaidade de mostrar minha cara. Quero levar uma vida normal ao lado do futuro marido. Mas torço para que olhem para o meu trabalho artístico”.

Emmie trabalha como recepcionista e garçom numa rede de restaurantes e está de casamento marcado com o polonês Martin Gutnik, para fevereiro. Eles vão se casar no Brasil por procuração e será convertido na Irlanda. O casório deveria ter acontecido em dezembro. “Estava tudo pronto: sítio alugado, bufê comprado... O prejuízo foi bem grande, mas valeu muito a pena. Depois, vamos celebrar aqui e no Rio”, contou. A próxima fase do ‘The Voice Ireland’ já está gravada, mas Emery não pode contar o que aconteceu no programa, gravado em um castelo, onde as duplas foram divididas e aconteceram os ensaios. Depois, rolaram as batalhas entre os candidatos de cada jurado. Para quem quer saber se Emmie continua ou não no programa, vai ter que aguardar até o mês que vem e acompanhar seu desempenho pela internet, no terceiro domingo de fevereiro, às 16h30, horário de Brasília.

PRECONCEITO NO BRASIL

Professor de Educação Física no Estado, Emery estudava Letras na UERJ, trancou a matrícula e foi morar em Dublin para aperfeiçoar o inglês. Também queria investir na carreira musical e esquecer o trauma de ter sido negado três vezes na edição brasileira de ‘Ídolos’. “Claro que rolou piada, zoação. Os jurados riram de mim! Evitava até tocar no assunto. Fiquei mal na época porque só tinha 20 anos. Mas hoje entendo que pode ter sido bom. Estou onde quero estar”.

Mas assim que viu na TV as chamadas para o reality irlandês, tratou de esquecer tudo. Aí nasceu Emmie Reek (o sobrenome foi inspirado num personagem da série ‘Game of Thrones’, que tem o órgão sexual arrancado e ganha do carrasco o nome de Reek). Para quem sofreu ataques homofóbicos na adolescência, Emmie é sua melhor resposta. “Sou muito bem-resolvido, minha família me apoia e só essa exposição, esse relativo sucesso da minha drag queen já me fazem feliz”. Parece que o jogo virou... 

Últimas de Diversão