Flávio Ricco: Tem mais show do que talk no mundo da TV

Será que é mesmo hora do Jô parar? E cadê a Marília?

Por O Dia

Rio - Hoje, em meio a tantos programas de entrevistas, estreados com tanto barulho e celebração, o que mais tem chamado a atenção é a superficialidade dos seus apresentadores e até a quase nenhuma importância da maioria dos convidados.

Tudo virou uma grande brincadeira, com ninguém mais interessado em conversar a sério ou abordar questões com maior profundidade.

Como requisito primeiro, o convidado tem que ser alguém que aceite entrar na roda e, se for o caso, se submeter até ao papel de perfeito idiota. Muito mais show do que talk.
E isso num país em que já tivemos Silveira Sampaio, lá no começo, depois Ferreira Netto, Roberto D’Ávila, Marília Gabriela e Jô Soares, todos com excelente base cultural. O quadro atual até assusta um pouco. Parece que não há mais interesse em se conversar a sério.


Vivemos todos, inclusive o mundo da TV, irresponsavelmente num grande playground.

Será que é mesmo hora do Jô parar? E cadê a Marília? 

Ressalva necessária 

Destaque-se, em meio a toda essa triste mesmice, a presença de Pedro Bial como rara e honrosa exceção.

O seu programa no GNT é muito bom, conduzido por alguém com bagagem e que sabe perguntar.

Não pode mais

Em tempo de HD, as próprias emissoras deveriam exigir maior qualidade, inclusive dos seus compradores de horários.

Ainda tem muito lixo em cartaz, por parte daqueles que pagam e acham que podem tudo.

Um exemplo 

E aí se aquiete a patrulhada porque não se trata de perseguição, mas de algo que foge completamente do mundo atual.

Como Band e RedeTV! podem aceitar os programas do R.R. Soares ainda com aquele festival de barras laterais? Cuidar um pouco mais da qualidade é um dever de todos. 

Natureza

Academia de Filmes levou para o Mipcom, em Cannes, dois projetos dedicados à diversidade da fauna e flora brasileira. O primeiro, ‘Brasil dos Dinossauros’, sobre espécies de dinossauros que viveram no país há milhões de anos, e ‘Birdwatching Terra Papagalli’, que viajará por 7 biomas em busca de espécies de aves únicas. 

Digital 

Na segunda-feira que vem, sairá uma nova pesquisa sobre o percentual de aparelhos habilitados para receber o digital no Distrito Federal e cidades do entorno. O seu resultado poderá determinar o desligamento na quarta-feira, 26.

Números

A última pesquisa, realizada em setembro, foi interpretada de maneira diferente pelas TVs, com números que entendem ser de 79%, contra 85% conforme preferem as teles. A tendência é que o Governo desligue com 90%, três abaixo do que a lei estipula. 

Confirmando-se o desligamento em 90%, cerca de 120 mil domicílios de toda a região serão impedidos de ver televisão, a partir da próxima semana. 

O outro lado 

Os canais da TV paga, em vez de simples repetidoras do que vem de fora, se saem muito bem quando investem em produções por aqui. O Sony, que já se deu bem com o ‘Entubados’, do Danilo Gentili, teve crescimento de 517% de audiência com a exibição da versão brasileira do ‘Negociando com Tubarões’.

Últimas de Diversão