Flávio Ricco: Troca de Jô por Bial tem que ser com cuidado

As diferentes características de um e de outro podem funcionar de maneira bem eficiente nesta mensagem

Por O Dia

Rio - O mais difícil para a Globo, na parte que toca a ela, será a tentativa de passar ao público que a entrada do Pedro Bial, com seu programa no começo das madrugadas, não será uma substituição ao que Jô Soares vem fazendo nos últimos 16 anos.

As diferentes características de um e de outro podem funcionar de maneira bem eficiente nesta mensagem, mesmo porque o Jô vem da escola do Silveira Sampaio. Um médico e dramaturgo, mas também jornalista, dono de um estilo próprio e bem característico, que se valia do humor e muita ironia para abordar os mais diferentes assuntos.

Bial trafega em outra linha completamente diferente. Tem toda a bagagem do jornalismo, usa bem a sua simpatia e a experiência que acumulou ao longo da vida, mas está longe de ser alguém engraçado. Irá se frustrar inteiramente aquele que esperar dele uma piada no começo do programa. As suas entrevistas no GNT já têm apresentado um pouco daquilo que poderá vir a ser. Mesmo contando com a eficiência da Globo na transmissão deste recado e confiando na indiscutível capacidade do Bial, a missão que ele terá pela frente não será das mais fáceis. 

PRÓXIMA ETAPA

Depois de Brasília, São Paulo é o próximo ponto para o desligamento do analógico. Mas não é bom confiar que será em março, conforme a ordem estabelecida. A associação das emissoras é a favor, mas todos os outros setores defendem o adiamento. 

DISPUTA NO SUL

A Record, como cabeça de rede, dará todo suporte a RIC TV, na implantação da sua nova programação em Santa Catarina. Isto será feito agora, já no mês de dezembro. É uma forma de se antecipar ao que a emissora da Globo, agora sob nova direção, fará no início de janeiro.

SE VIRA NOS 10

Vai ser curioso acompanhar qual a mágica que o SBT vai fazer, a partir de hoje, no momento em que a reprise de ‘A Usurpadora’ passa a ser nacional. Até aqui, enquanto local, foram ao ar dez capítulos. Para muitas regiões, pelo visto, a novela vai começar no 11º capítulo.

A QUEM INTERESSAR POSSA

O fato desta coluna defender o bom jornalismo não significa qualquer antipatia ao jovem Dudu Camargo. Nada disso. Sequer o conheço.

A crítica é feita a quem o colocou no comando de um telejornal, algo muito superior ao tamanho e capacidade dele. No caso, acaba sendo uma vítima.

TREMENDA FRIA

Se Dudu Camargo pode ser responsabilizado é apenas em função de ter aceitado, primeiro viver um personagem com saco de papel na cabeça e depois assumir o comando do jornal, sem experiência para tal. Uma queimação. E fatos que, daqui algum tempo, provavelmente ele fará sumir do seu currículo. 

A TODO VAPOR

‘Pesadelo na Cozinha’, novo programa do Erick Jacquin na Band, tem sua estreia confirmada para janeiro. Só falta definir o dia e horário em que irá ao ar. A produção é da Eyeworks, e as gravações estão sendo feitas em locações de São Paulo, capital e interior, e Rio de Janeiro. Serão 13 episódios. 

DOSE DUPLA

A exemplo da Record, que estreia em 2017 a novela ‘Belaventura’, de Gustavo Reiz, a Globo também prepara um roteiro ambientado no universo medieval, escrito por Daniel Adjafre.

Está em desenvolvimento na teledramaturgia e deve ir ao ar em 2018.

Últimas de Diversão