'Talento' para cozinhar e criar pratos é só na ficção

Em 'Novo Mundo', personagem de Guilherme Piva adora inventar receitas. Ator diz que nem chega perto do fogão

Por O Dia

Rio - Ninguém gosta da comida do cozinheiro da Taberna de 'Novo Mundo'. Mesmo assim, Licurgo (Guilherme Piva) segue com a autoestima lá em cima e não para de inventar pratos diferenciados. Sujo e turrão, o marido de Germana (Vivianne Pasmanter) já criou o frango à passarinho, a feijoada, o cachorro-quente, teve a ideia de "fritar milho" para fazer pipoca e até se aventurou na confeitaria ao preparar um bolo em homenagem a Leopoldina (Letícia Colin).

"Acho uma sacada maravilhosa dos autores. É como se todas as comidas fossem inventadas por ele", diz Guilherme que, ao contrário de seu personagem, não gosta nem de chegar perto do fogão. "Não é a minha onda, mas eu adoro jantar na casa dos amigos (risos)", brinca ele.

Guilherme Piva em Novo MundoDivulgação

Embora acredite que sua comida seja ótima e as pessoas que a criticam é que não entendem as receitas, Licurgo demonstrou pela primeira vez que fica chateado com as críticas. Após virar piada no palácio de Dom Pedro por ter levado o bolo que preparou para a imperatriz Leopoldina, o dono da Taberna teve uma crise de choro, mas não demorou para se recompor.

"Os brutos também têm sentimentos. Esse personagem é muito rico, cheio de camadas. É uma delícia de fazer", diz o ator. Para Guilherme, Licurgo é a representação do "jeitinho brasileiro". "É um homem que só quer se dar bem, mas sempre se ferra. Ele tem a semente do amor dentro dele, é ingênuo, quase um ser primitivo, por isso não consegue ser um vilão como o Thomas (Gabriel Braga Nunes)", defende o artista.

No começo da trama, por causa da caracterização, Piva conta que não era reconhecido nas ruas. O personagem, porém, evoluiu tanto no folhetim das 18h que agora ficou difícil não saber quem é o ator por trás do cozinheiro de 'Novo Mundo'.

"Por causa da barba, que eu nunca tinha deixado tão grande, e do cabelo, as pessoas reconhecem. Essa caracterização conta com muita sujeira, dá trabalho", afirma ele, que admite sofrer por antecipação toda vez que lembra que o dia 25 - data em que o último capítulo da trama de época vai ao ar - está chegando.

Amigo de Ingrid Guimarães e Vivianne Pasmanter, artistas com quem mais contracena no núcleo da Taberna, Guilherme aproveita para revelar qual seria, no seu ponto de vista, o final perfeito para Licurgo. "Ele tinha de recuperar o cargo político dele", sugere.

Últimas de Diversão