Para entender os rótulos

Examinar uma garrafa de vinho antes mesmo de abri-la é uma preliminar do prazer que ele deve proporcionar ao ser bebido

Por O Dia

As refeições chiques se parecem cada vez mais com espetáculos.

Os pratos são fotografados, as mesas parecem cenografia ... Mas o vinho caminha no sentido inverso: o retorno à naturalidade, ao "sem mistério". Repito: o vinho é um produto simples, fruto da uva e da parreira e assim tem que ser tratado.

Coluna do Vinho - rótulosDivulgação

Vejamos: o rótulo (com variações) exibe primeiro o nome: Miolo, Concha y Toro, etc. A seguir, quase sempre uma ilustração. Abaixo o ano em que foi produzido, chamado de "safra", tem importância porque um mesmo vinho pode ser melhor ou pior dependendo das chuvas (ou não) e da insolação do terreno. A seguir, vem o tipo da uva com o qual foi produzido: se tinto, Malbec, Cabernet Sauvignon e outras. Se branco, Chardonnay, Riesing e outras. Finalmente, vem a indicação do país e a região produtora ou vive-versa. Por isso, examinar uma garrafa de vinho antes mesmo de abri-la é uma preliminar do prazer que ele deve proporcionar ao ser bebido. Prazer que se compara ao movimento oposto: ver a garrafa vazia horas depois e refazer o filme de sua degustação e de quem estava ao seu lado durante aquele momento. Saúde!

Últimas de Diversão