Musas usam LED para brilhar nos desfiles

Penas e cristais não bastam para as estrelas do Sambódromo. Fantasias ganham luz e chamam atenção nos desfiles

Por O Dia

Jéssica Maia%2C destaque da Mocidade%2C desfilou com controle que acionava o LED%3A fantasia custou R%24 40 milMaíra Coelho / Agência O Dia

Rio - Cristais Swarovski e penas de faisão já não são suficientes para as rainhas de bateria, musas e destaques das escolas. Elas querem mais. E, na busca incessante pelo espocar dos flashes, resolveram iluminar. Tecidos e pedras ganharam baterias e até controles para ligar e desligar as luzes de LED, que voltaram a ditar moda na passarela do samba.

Um estilista só já não faz um figurino. Para a destaque de chão da Unidos da Tijuca Patrícia Chelida, professora, 32 anos, foram necessárias 14 pessoas na equipe, entre técnico de eletricidade e designer, para fazer acender os dez módulos do look. “Eu represento a energia, então resolvemos incluir o LED, que é um acessório a mais para diferenciar a roupa. Nós acompanhamos a modernidade e as luzes vieram com tudo este ano”, destacou Patrícia. O material importado encareceu o modelito, avaliado em R$ 85 mil. Foram 600 penas de faisão e 230 mil cristais.

A rainha de bateria da União da Ilha, Bruna Bruno, também aderiu ao efeito. Para dar um charme à fantasia de Mulher Maravilha, ela usou LED só na corda. “É bom dar uma iluminada no visual”, disse a heroína da Ilha. Outra que ofuscou quem estava ao lado no desfile da mesma escola foi a destaque de chão Veronice de Abreu, de 28 anos. “O brilho dá um toque a mais. É o glamour da Avenida”, frisou ela. O investimento no figurino gol de placa foi de R$ 40 mil.

Patrícia Chelida%2C da Unidos da Tijuca%2C com fantasia de R%24 85 milAlexandre Brum / Agência O Dia

Capa da ‘Playboy’ em 2009, Jéssica Maia, 30 anos, destaque da Mocidade, não economizou na luz. Vestida de Mulher do Futuro, ela desfilou com um controle para acionar a parte elétrica da roupa, que também custou R$ 40 mil. “As musas entraram na era da tecnologia”, avisou Jéssica.

Últimas de Carnaval

Musas usam LED para brilhar nos desfiles O Dia - Carnaval

Musas usam LED para brilhar nos desfiles

Penas e cristais não bastam para as estrelas do Sambódromo. Fantasias ganham luz e chamam atenção nos desfiles

Por O Dia

Jéssica Maia%2C destaque da Mocidade%2C desfilou com controle que acionava o LED%3A fantasia custou R%24 40 milMaíra Coelho / Agência O Dia

Rio - Cristais Swarovski e penas de faisão já não são suficientes para as rainhas de bateria, musas e destaques das escolas. Elas querem mais. E, na busca incessante pelo espocar dos flashes, resolveram iluminar. Tecidos e pedras ganharam baterias e até controles para ligar e desligar as luzes de LED, que voltaram a ditar moda na passarela do samba.

Um estilista só já não faz um figurino. Para a destaque de chão da Unidos da Tijuca Patrícia Chelida, professora, 32 anos, foram necessárias 14 pessoas na equipe, entre técnico de eletricidade e designer, para fazer acender os dez módulos do look. “Eu represento a energia, então resolvemos incluir o LED, que é um acessório a mais para diferenciar a roupa. Nós acompanhamos a modernidade e as luzes vieram com tudo este ano”, destacou Patrícia. O material importado encareceu o modelito, avaliado em R$ 85 mil. Foram 600 penas de faisão e 230 mil cristais.

A rainha de bateria da União da Ilha, Bruna Bruno, também aderiu ao efeito. Para dar um charme à fantasia de Mulher Maravilha, ela usou LED só na corda. “É bom dar uma iluminada no visual”, disse a heroína da Ilha. Outra que ofuscou quem estava ao lado no desfile da mesma escola foi a destaque de chão Veronice de Abreu, de 28 anos. “O brilho dá um toque a mais. É o glamour da Avenida”, frisou ela. O investimento no figurino gol de placa foi de R$ 40 mil.

Patrícia Chelida%2C da Unidos da Tijuca%2C com fantasia de R%24 85 milAlexandre Brum / Agência O Dia

Capa da ‘Playboy’ em 2009, Jéssica Maia, 30 anos, destaque da Mocidade, não economizou na luz. Vestida de Mulher do Futuro, ela desfilou com um controle para acionar a parte elétrica da roupa, que também custou R$ 40 mil. “As musas entraram na era da tecnologia”, avisou Jéssica.

Últimas de Carnaval