Fortunato: O melhor amigo do mocinho

Com diversos filmes no currículo, Jesuíta Barbosa se destaca na série ‘Amores Roubados’

Por O Dia

Rio - Nem todos os olhos estão voltados para Isis Valverde e Cauã Reymond na minissérie ‘Amores Roubados’. Foi de mansinho que Jesuíta Barbosa conseguiu chamar a atenção do público, na pele de Fortunato, melhor amigo de Leandro, personagem de Cauã na trama. O sotaque carregado, uma mistura de quem viveu parte da vida em Pernambuco e outra em Fortaleza, anuncia a singularidade de Jesuíta, que ganhou o nome incomum graças à bisavó. 

Conhecido por seus papeis no cinema%2C o pernambucano Jesuíta Barbosa conseguiu se destacar como o Fortunato de ‘Amores Roubados’Divulgação


“Na verdade, Jesuíta é o nome de meu pai e meu avô também. A mãe de meu avô era muito religiosa e colocava nome de santos e apóstolos nos filhos, mas teve uma hora em que ela não tinha mais opção e escolheu Jesuíta”, diverte-se o ator, de 22 anos.

Diante da sensualidade de Isis Valverde, da nudez de Dira Paes e do corpo sarado de Cauã, um ator menos conhecido que quisesse mais destaque na minissérie poderia se frustrar. Não foi o caso de Jesuíta. Ele cresceu e apareceu, despertando a curiosidade dos telespectadores. Dono de um corpo franzino, o ator faz piada sobre seu visual.

“Não tô tão mal perto do Cauã, não é mesmo? Ele faz o tipo gostoso, mas eu também sou bonitinho”, diz ele, aos risos. “Sou bem magro, mas não tenho ‘noia’ com meu corpo. Antigamente, tinha aquela coisa de que as pessoas mais encorpadas eram mais saudáveis, mas já desapeguei disso. Eu me acho bonito, sim”, comenta o ator, que também tem em seu roteiro cenas picantes. “Fortunato aparece em cenas ousadas. Mas não usei dublê, não. Nem nas cenas em que tive que dirigir. Aprendi a dirigir para a minissérie e até tirei carteira de motorista”, revela.

É a estreia dele na televisão. “Já entrei bem na TV, né não?”, indaga o ator, que ainda está se acostumando com “esse negócio de fama”. No cinema, Jesuíta é figurinha conhecida (ele já rodou ‘Serra Pelada’, ‘Tatuagem’, ‘Cine Holliúdy’ e longas que ainda vão estrear este ano: ‘Praia do Futuro’, ‘Trash’ e ‘Jonas e a Baleia’.

“Não quero ser ludibriado pela fama. O que me interessa é ouvir um elogio sobre meu trabalho, isso que me deixa contente”, afirma o pernambucano, que vive há 15 anos em Fortaleza. “Acho que as pessoas querem saber sobre mim porque veem que faço parte daquele sertão, tem a ver com a minha base, que é em Pernambuco. Tenho raízes e isso aparece na TV. Também é o meu jeito de falar, tenho algo das pessoas dali, do Nordeste, que falam o que dá na telha”, acredita.

Conselheiro na ficção, Jesuíta prefere ouvir a falar. “Conselho é algo fácil de dar, mas vai de cada pessoa querer ouvir. Eu tenho isso do Fortunato, de bater um papo, trocar uma ideia, mas ele fala mais que eu. Prefiro receber conselhos”, revela. 

Cotado para participar do remake de ‘Rebu’, da Globo, o ator ainda avalia o convite. “Não tenho nada fechado. Isso ainda está sendo conversado”, diz. Caso aceite o convite, Jesuíta não mudará definitivamente de residência. Ele quer continuar no Ceará.

“Vou ficar viajando a trabalho. Gosto de Fortaleza, quero ficar mais tempo na cidade. Sei que o pessoal do Nordeste tem menos oportunidades na televisão, mas, quando se propõe algo novo, como ‘Amores Roubados’, nosso trabalho é muito bem visto. Tenho sorte de trabalhar com tanta gente boa e que elogia.”

Últimas de Televisão