Bancos ofertam crédito para antecipar restituição do Imposto de Renda

Empréstimo com juros a partir de 2,25% ao mês é recomendável para quitar dívida

Por O Dia

Rio - Os bancos já estão oferecendo a antecipação da restituição do Imposto de Renda, uma das modalidades de crédito mais em conta do mercado. O empréstimo é concedido com juros a partir de 2,25% ao mês para contribuintes que tiverem algum valor a receber do Fisco. Para quem tiver dívidas a quitar, sobretudo aquelas com juros mais altos, como de cartão de crédito e cheque especial, essa é uma opção vantajosa, segundo os especialistas.

A maioria das instituições chega a antecipar todo o valor da restituição. No caso do Bradesco, essa opção só é válida para clientes que recebem o salário em conta no banco. Para os demais correntistas, a cobertura é de até 80%. Já a Caixa Econômica Federal (CEF) antecipa até 75% do valor a ser devolvido pela Receita Federal.

Restituição do Imposto de Renda serve como garantia para empréstimo novo com custo mais baixo Arte O Dia

A taxa de juros mais baixa para esta linha de crédito é de 2,25%, oferecida pelo Banco do Brasil, que antecipa até 100% do valor do crédito a ser restituído, limitado a R$ 20 mil. Segundo a instituição, o pagamento é realizado somente na data que a restituição for creditada em conta “ou no vencimento do contrato, no dia 16 de janeiro de 2017, conforme o que ocorrer primeiro”.

Apesar de ser um empréstimo com juros mais baixos, é preciso avaliar a necessidade de antecipar a restituição. Segundo a professora de Finanças da Fundação Getulio Vargas (FGV), Myrian Lund, o contribuinte que usa a modalidade de crédito perde, em média, 30% do valor total da restituição.

“A medida é recomendada apenas para casos específicos, como na possibilidade de liquidar uma dívida. Vale a pena para sair do cheque especial e do cartão no rotativo, que têm, respectivamente, juros de 12% e 14% ao mês”, ensina a especialista, que orienta o consumidor a negociar a dívida.

“Antes de pedir a antecipação da restituição, o cliente tem que procurar o gerente do banco e tentar reduzir o valor da dívida existente para quitá-la de uma vez”acrescenta a professora.  Com dois empréstimos bancários, o advogado Rodrigo Cardoso, 36 anos, planeja acabar com uma dívida pedindo a antecipação da restituição. “Tenho retenção na fonte e outros valores a serem devolvidos. Vou pagar de uma vez uma dívida que eu liquidaria em outubro”, relata.

Educador financeiro, Ronaldo Domingos também considera a opção vantajosa só para quem conseguir quitar dívida com juros altos. “Caso contrário, a solução é aguardar sua restituição com paciência, visto que ela estará sendo corrigida pela taxa Selic, sendo creditada com valor maior”.


Últimas de Economia