BMG lidera lista de reclamação de cliente pelo terceiro mês

Banco está no topo desde de janeiro

Por O Dia

Rio - Pelo terceiro mês consecutivo, o Banco BMG ficou no topo da lista de maior volume de reclamações em relação ao total de clientes em fevereiro, segundo pesquisa mensal do Banco Central (BC). Em janeiro, ao ultrapassar a marca de 2 milhões de clientes, a instituição retornou à desconfortável liderança.

Desde que o BC mudou a metodologia, em julho de 2014, separando as instituições por dois grupos (acima e abaixo de dois milhões de clientes), o BMG que é destaque na concessão de empréstimos consignados, deixou de figurar na lista que sempre trazia seu nome antes das alterações.

De acordo com o BC, em dezembro do ano passado, o BMG contava com 1,992 milhão de clientes. Em janeiro, passou a ter 2,198 milhões e, em fevereiro, 2,319 milhões, quando também ficou em primeiro lugar do ranking. Em março, com 148 críticas consideradas procedentes pelo regulador no mês passado, a instituição obteve índice de 61,93, um pouco menor do que o anterior, de 66,40. O total de clientes subiu para 2,390 milhões, conforme a agência Estadão Conteúdo.

Até a volta do BMG ao ranking, o indicador raramente ultrapassava a marca de uma dezena. A classificação é gerada por índice que leva em conta instituições que receberam o maior volume de críticas de usuários de serviço em relação ao total de clientes.

Na segunda posição, com índice de 11,16 pontos, permaneceu o Itaú. A instituição, que possuía 60,260 milhões de clientes em março, recebeu 673 queixas avaliadas como procedentes pelo regulador. Em terceiro está a Caixa Econômica, antes na quarta posição em fevereiro. A instituição obteve 9,56 pontos, pelos cálculos que consideraram 755 reclamações e total de 78,962 milhões de clientes.

Quem está na quarta posição é o Bradesco, que em fevereiro, figurava na terceira colocação. Em março, o banco recebeu 728 críticas de seus 77,535 milhões de correntistas. Com isso, perfez um índice de 9,38. Já o Santander aparece em quinto, com 6,86 pontos, formados por 234 queixas de seus 34,074 milhões de usuários. 

Últimas de Economia