Temer vai bancar reformas de casas

Recursos vão comprar material para construir banheiro e trocar telhado em residência que precisa de melhorias

Por O Dia

Rio - A população com renda de até três salários mínimos (R$2.640) terá recursos para construir banheiro, reformar o telhado da casa e fazer instalações elétricas em residências que precisam de melhorias. Projeto do governo Temer subsidiará a compra de material de construção com valores entre R$ 3 mil e R$ 5 mil para essa faixa de renda.

Cerca de um milhão de famílias seriam atendidas nos próximos dois anos. O Ministério das Cidades informou que o presidente interino Michel Temer deu aval para o projeto de reforma de moradias baseado no programa Cheque Reforma, implementado pelos governos do Pará e de Goiás. O pasta estima que o sistema deve entrar em vigor no próximo ano.

Para ministro Bruno Araújo%2C programa visa melhorar a qualidade das moradias populares no paísEBC

O projeto em estudo prevê a liberação de crédito diretamente para as famílias e será 100% subsidiado pelo governo federal. O beneficiário receberá os recursos, vinculados ao CPF, para ser usado em casas de material de construção cadastradas. Em uma das possibilidades em estudo, a empresa poderá abater o crédito em impostos a pagar.

Pela proposta, o governo federal bancará o material com e o dono da casa que será reformada ficará responsável pela mão de obra.

De acordo com o ministro da Cidades, Bruno Araújo, o programa visa reduzir o déficit qualitativo das moradias populares no país, que precisam de ampliação e adequação. “A nossa ideia é lançar o projeto em breve, para começar a valer já em 2017. O detalhamento está sendo discutido com a equipe técnica da pasta”, afirmou.

Araújo cita ainda que estudo da Fundação João Pinheiro indica que mais de um milhão de moradias populares no país precisam de ampliação, cerca de 850 mil têm cobertura inadequada, mais de 260 mil não têm nem banheiro e mais de 7 milhões de casas no país precisam de instalações de esgoto sanitário.

A partir da determinação do presidente interino, a equipe do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, acertou a liberação de R$1,2 bilhão de recursos novos em prazo de 24 meses, sendo R$ 400 milhões neste ano, para construir as 15 mil casas vinculadas ao PAC. “Várias obras estão paradas ou em ritmo lento porque dependem da construção de moradias para famílias que serão desalojadas”, disse.

Para o ministro, a liberação permite, além da moradia para essas pessoas, a retomada de muitas obras do PAC, gerando mais emprego. Ele afirmou ainda que amanhã sua equipe também vai anunciar a retomada da construção de 67 mil unidades do Programa Minha Casa, Minha Vida que estão com obras paralisadas.

Últimas de Economia