Acidente de trânsito custa R$ 74,8 bi

Pesquisa mostra queda de 25,5% nos gastos este ano. No Rio, impacto foi de R$ 5 bilhões

Por O Dia

Brasília - Acidentes graves de trânsito impactaram a economia do país em R$ 74,85 bilhões no primeiro semestre deste ano. Segundo levantamento do Centro de Pesquisa e Economia do Seguro (CPES), da Escola Nacional de Seguros, houve queda de 25,5% se comparado com o mesmo período de 2015, quando o custo foi de R$ 100,47 bilhões.

O prejuízo este ano foi provocado por 15.470 casos de invalidez permanente e morte de 21.496 pessoas em decorrência de colisões e atropelamentos. Os dados têm como base as estatísticas do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT). Somente o Rio de Janeiro, o desembolso foi de R$ 5 bilhões.

Levantamento de acidentes de trânsito é baseado em dados do DPVATDivulgação

Conforme o estudo, nos primeiros seis meses de 2015 foram 22.395 mortes e 27.224 casos de invalidez permanente. De um ano para o outro, a redução de casos foi 4% e 43%, respectivamente.

Em São Paulo, foram registrados 906 casos de invalidez permanente (-67%) e 3.150 mortes (-12%) no trânsito de janeiro a junho deste ano. O impacto econômico chegou a R$ 12,19 bilhões.

“A redução do número de vítimas do trânsito é um avanço importante. Ela mostra que o Brasil pode convergir para índices de países mais avançados, mas está longe de ser motivo para comemoração. Pelo contrário. A violência no trânsito ainda é uma tragédia de proporções épicas, com forte impacto social e econômico”, diz Claudio Contador, diretor do Centro de Pesquisa e Economia do Seguro, da Escola Nacional de Seguros.
Para o diretor, é preciso criar uma cultura de responsabilidade ao volante, com ações permanentes de educação e de fiscalização.

Últimas de Economia