Profissão Certa: Os dois lados da carreira de Direito

O advogado Augusto Nepomuceno dá dicas de como progredir na carreira

Por O Dia

Rio - Todos os anos, a carreira de Direito está entre as mais procuradas no Enem. Antes de optar por ela, porém, muitos estudantes se debatem em dúvidas. Será que o mercado da advocacia está saturado? Qual das várias especialidades é promissora? Qual não é? 

Para ter respostas, PROFISSÃO CERTA conversou com o advogado Augusto Nepomuceno, professor de Direito Administrativo e coordenador de graduação na Universidade Estácio:

Augusto NepomucenoDivulgação

1. O mercado de trabalho da advocacia está saturado?

Não podemos confundir quantidade de advogados com saturação. Temos muitos profissionais, mas temos um défcit de qualidade. Se você está preparado, se preocupa em estudar constantemente a área de especialização, certamente terá empregabilidade. O grande problema é que há pouca dedicação. E muitos querem 100% de resultado com apenas 10% dessa dedicação. É uma conta que não vai fechar. Por isso, cria-se esse fantasma de saturação de mercado, a grande verdade é esta.

2. A remuneração é boa?

Entendo que é justa no critério gradativo. Os recém-formados hoje têm uma remuneração que parte dos R$ 3 mil. Em dois ou três anos de formado é possível passar para uma remuneração melhor, de R$ 5 mil, e a tendência é ir subindo. A grande questão hoje é que tem um tratamento do advogado contratado que não fica limitado à CLT. Há muitos bons advogados que podem ter relação de parcerias com escritórios, que a gente chama de associado, e tem uma remuneração maior. A condição de contratação é muito plural.

3 . Quais as especialidades que estão em alta?

Eu aposto muito na área de Diretito Privado, como o Direito Desportivo, que tem carência de bons profissionais, não se encontra no mercado. Tem a área de Estado e Regulação, antigo Direito Administrativo, para cuidar de empresas que têm relações com o governo.

Além disso, tem o Direito da Energia, principalmente na área de energia elétrica, concessões, esses temas. O Direito tem uma pluralidade de áreas muito grande. Primeiro: quem é bom tem espaço. Segundo: há muitos espaços a serem preenchidos por aqueles que não querem ficar restritos a Direito do Trabalho, Direito Civil e Direito Penal.

4 . E quais especialidades estão em baixa?

A área do Direito do Trabalho não está em bom momento por conta da Reforma Trabalhista. Com as mudanças recentes, em muitas questões o patrão e o empregado se resolvem diretamente. É uma área que vai continuar ativa, mas vai gradativamente sofrer uma queda de procura por causa da nova realida jurídica trabalhista.

5 . Quais características ideais de uma pessoa para seguir a carreira de Direito?

Tem que ser uma pessoa de extrema perseverança, já que o Poder Judiciário é bastante moroso. Deve ser alguém de bom trato, tanto com clientes, quanto com outros advogados, não vale a pena criar conflitos. deve ter controle emocional. E, acima de tudo, alguém determinado. Estipulador de metas a serem cumpridas. Não adianta ficar conjecturando, pois só se vai gastar tempo e dinheiro e nada de concreto vai acontecer.

6 . Quais os problemas mais comuns encontrados nos profissionais que chegam ao mercado?

Um problema é que as pessoas se preocupam muito com empregabilidade, mas não se preocupam muito com trabalho. As pessoas querem estar empregadas, mas nem sempre querem verdadeiramente exercer aquela função em que estão empregadas. Muitos não têm a consciência de se profissionalizar.

7. A Lava Jato aumentou o interesse pela carreira?

Os juristas têm uma posição de que personalidades desse caso estão fazendo do cargo uma espécie de teatro. Um juiz é uma pessoa imparcial, reclusa, não deveria ter esse tipo de holofote. Analisando juridicamente essa situação, digo que aumentou até o interesse pela carreira em gente que quer ser um Sérgio Moro, um herói. É uma pseudo opção. O papel de um juiz não é este. Sem entrar no mérito dos 

Últimas de _legado_Empregos e Negócios