Estrategistas de Pezão torcem para enfrentar Garotinho e explorar forte rejeição

PR e PMDB de olho no segundo turno

Por O Dia

Rio - À medida que o segundo turno se aproxima, os dois candidatos mais bem colocados nas pesquisas para o governo do Rio — Anthony Garotinho (PR) e Luiz Fernando Pezão (PMDB) — começam a delinear as estratégias que pautarão a nova etapa de campanha a partir de 5 de outubro.

Os coordenadores políticos de Pezão torcem para que as pesquisas se confirmem e o segundo turno seja disputado com Garotinho. Para os marqueteiros, a avaliação é de que esse é o cenário ideal. O objetivo é correr atrás do voto útil explorando cada vez mais a rejeição do candidato do PR — segundo o Ibope, hoje em 39%.

Garotinho planeja incluir Sérgio Cabral como alvo no segundo turnoDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

Até agora Pezão leva grande vantagem no tempo de televisão: nove minutos contra apenas dois e meio de Garotinho. No segundo turno, os dois terão dez minutos cada. E essa é uma das grandes apostas do ex-governador para tentar recuperar seus eleitores. “No segundo turno é a hora de botar a famosa pergunta: onde anda o Cabral?”, atacou Garotinho, em referência ao ex-governador. Sérgio Cabral não participa das atividades de Pezão devido à impopularidade desde os protestos do ano passado.

Os coordenadores de campanha do PR dizem que com o pouco tempo de TV não é possível explorar agora no horário eleitoral alguns temas mencionados por Garotinho com frequência, como o fato de Pezão ter sido secretário do governo de sua mulher Rosinha.

Além disso, as denúncias de corrupção envolvendo Cabral e a Petrobras também são estudados. Nesta quarta-feira, em campanha por Três Rios, Garotinho disse que considera “um milagre” que as pesquisas apontem um cenário de equilíbrio na disputa entre ele e Pezão. “Ele tem apoio de 82 prefeituras, incluindo a capital e ainda assim o esforço dele para chegar é difícil”, disse Garotinho.

Últimas de _legado_Eleições 2014