Sonho e glória de Luisito Suárez

Uruguai venceu com uma grande atuação do atacante

Por O Dia

Rio - Muitos não acreditavam que, em menos de um mês, Luisito Suárez disputasse essa Copa e, mesmo quando seu nome foi confirmado, a expectativa era de uma mera figuração. A incrível derrota para Costa Rica só reforçou essa convicção, mas os deuses do futebol e a vontade de Luisito se impuseram. Ele sabia que o Uruguai precisava da vitória e que, sem ele, a tarefa seria praticamente impossível. Fez em campo bem mais do que se poderia imaginar.Dois golaços em momentos decisivos, muita luta com aplicação na marcação e uma atuação de gala que só honrou a sua carreira e, principalmente, o seu caráter.

Foi um jogo épico, disputada no limite do esforço, mas dava para sentir durante todo o tempo a grande determinação dos uruguaios, as jogadas mais agudas de ataque e uma compactação em campo que deixou os ingleses atordoados. Só mesmo o talento de Gerrard, Rooney e Sterling conseguia perturbar a muralha montada por Oscar Tabárez, que teve coragem para barrar Forlán e Lugano para escalar um time guerreiro e competitivo. A Celeste renasceu na Copa.

O Uruguai tinha Suárez. O atacante marcou de novo e garantiu a vitóriaReuters

INDEFINIÇÃO

Com a grande vitória uruguaia, a situação do Grupo D fica incerta por uma série de razões. O Uruguai está extremamente motivado para obter a vaga, a Inglaterra precisa golear a Costa Rica e torcer por outros resultados favoráveis. Até porque, se hoje houver um empate entre Itália e Costa Rica, a Inglaterra estará eliminada.Resta saber se a Itália vai confirmar a boa estreia e se a zebra da América Central repetirá a sua espetacular estreia contra o Uruguai. Esta sexta pode ser o dia D.

OUTRA SURPRESA

Essa Copa do Mundo vai surpreendendo a cada rodada e de forma positiva. Quem poderia imaginar que Colômbia e Costa do Marfim, mesmo vindo de vitórias, jogassem uma partida tão agradável, movimentada e ofensiva e que só terminou com a vitória colombiana porque os africanos ainda têm uma certa ingenuidade na defesa. Mas James Rodriguez (foto), Cuadrado, Yaya Touré e Gervinho brindaram a torcida em Brasília com um excelente jogo.

A ARRUAÇA

Gente que já viu muitas Copas do Mundo ficou impressionada com a invasão de algumas dezenas de chilenos que pularam os muros do Maracanã e chegaram a entrar no Centro de Imprensa, gritando e quebrando coisas. Uma atitude lamentável e inédita que merece a punição na medida certa. Nada justificava esse ato de selvageria, até porque os chilenos, de forma geral, são simpáticos, civilizados e interagem bem com os brasileiros. A segurança falhou feio.

BOA PAUSA

A seleção brasileira está com seis dias de diferença entre um jogo e outro, Hulk (foto) parece recuperado e o empate contra o México não provocou crise. Melhor ainda que a equipe do técnico Felipão enfrenta os eliminados camaroneses e poderá testar jogadores e até variações de esquema. A não ser que o treinador ache que está tudo ótimo, não mude nada e assuma os riscos. Tomara que os meias Paulinho e Oscar e o atacante Fred voltem a jogar um bom futebol.

DEPOIS DA COPA, VAI SER DURO ATURAR O BRASILEIRO

Já dá pra dizer que existe um abismo separando a qualidade do futebol que estamos vendo na Copa daquela pasmaceira habitual das competições domésticas. Não apenas pela natural diferença de talento, mas também pela própria disposição dos jogadores. Na Copa, há dedicação integral, vontade, doação, ataque. Na rotina nacional, preguiça, lentidão e burocracia. Os técnicos precisam partir para um esquema mais ofensivo e os cartolas, que pagam salários milionários, exigir esforço para trabalhar.

Últimas de Esporte