Aranha faz BO e cita Martin Luther King em texto contra ato racista de gremistas

Goleiro diz que racismo é um mal que se enfraquece cada vez que ele é detectado. Ele vai denunciar torcedora por racismo

Por O Dia

O goleiro Aranha, do Santos, foi a uma delegacia de Porto Alegre no início da tarde desta sexta-feira para registrar um boletim de ocorrência contra os atos racistas de que foi vítima na partida contra o Grêmio pela Copa do Brasil na noite quinta-feira.

LEIA MAIS: Torcedora do Grêmio que chamou Aranha de macaco é identificada

Mais cedo, no site do Santos, o goleiro publicou uma nota em que aprova a repecussão dada ao caso porque o racismo se enfraquece à medida que ele é combatido. Para isso, citou um dos maiores nomes da luta contra o racismo da história, Martin Luther King. O americano, em 1963, fez discurso até hoje símbolo contra a segregação racial.

LEIA MAIS: Grêmio diz que vai expulsar torcedores racistas se eles forem sócios 

O Grêmio prometeu ajudar as autoridades a identificar os torcedores flagrados pelas imagens de TV insultando o goleiro.

LEIA MAIS: Após Aranha sofrer atos racistas, filho desabafa: 'Orgulho de ter pai negro'

Veja a nota de Aranha

Gostaria de dizer a todos os interessados nesse polêmico e triste episódio de ontem, que depois de uma noite mal dormida, acordei aliviado e satisfeito, porque ao meu modo de ver, o racismo de qualquer modo ou gênero é um mal e todo mal não detectado cresce e se fortalece.

Ontem, esse mal mostrou a sua cara e isso foi bom porque tenho certeza de que será, mais uma vez, combatido e enfraquecido, como em 1963, quando Martin Luther king fez o seu famoso discurso “I Have a Dream”

“Eu tenho um sonho. Que um dia viveremos em uma nação onde as pessoas não serão julgadas pela cor da pele, mas sim pelo conteúdo de seu caráter” .

Aranha
Sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Últimas de Esporte