Hernane afirma que Grêmio e Santos mostraram interesse, mas nada oficial

Brocador fala de sondagens de clubes brasileiros e explica sua saída da Arábia Saudita

Por O Dia

Rio - Após sair do Al Nassr, da Arábia Sudita, o atacante Hernane segue com o futuro incerto. Ainda sem clube, o brocador afirmou em entrevista nesta quarta-feira que houve sondagens do Grêmio e Santos, mas sem nenhuma proposta oficial de ambos. 

"Teve o interesse de Grêmio e Santos, mas não começaram a negociação. Meu empresário disse que semana que vem estará definido", comentou Hernane em entrevista ao Arena SporTV.

O atacante não entra em campo desde dezembro de 2014, mas explicou que mantém a forma treinando em uma academia. Perguntado sobre quanto tempo seria necessário para se readaptar no futebol, ele foi sincero e, aproveitou para ressaltar que não tem prefência por algum clube.

Sem clube, Hernane recebeu sondagens do Grêmio e SantosMárcio Mercante

"Um mês... Não tenho preferência. Estou com saudade de voltar aos gramados, de ser feliz e fazer meus gols. Sou profissional e vou defender a camisa como fiz no Flamengo", acrescentou.

A ida do Brocador ao Al Nassr, da Arábia Saudita, foi cercada de problemas. Isso porque, o clube árabe não teria pago os 7 milhões que o Flamengo teria por direto da transferência do atacante. Explicando o caso, Hernane afirmou que estranhou até a demora no salário, já que o Al Nassr não pagava em dia.

"Conversei com meu advogado e empresário e tentamos sair amigavelmente, já que tinha um desacerto do clube com salário, mas no momento falaram que não. Fiquei treinando no clube, depois viraram a cabeça, pegaram meu passaporte, não queriam devolver, nem liberar e nem pagar os salários. Foi uma situação desconfortável, o único jeito foi partir para a Fifa, que é o jeito de sair do mundo árabe quando isso ocorre (...). Não consigo entender, Elton esteve lá e falou que atrasaram salário também. Eles têm dinheiro, não sei o porquê. Com jogadores árabes, ficam devendo cinco, seis, sete meses, mas eles são árabes, não podem reclamar porque ficam sem contrato. Estrangeiro ficar longe da família e sem receber é complicado", finalizou.


Últimas de Esporte