Jovem do Paulistano, Mogi dá show e ganha o Torneio de Enterradas

Competição teve dança e até selfie com mascote

Por O Dia

São Paulo - Um jovem de apenas 19 anos roubou a cena. Mogi, do Paulistano, conquistou o Torneio de Enterradas do Jogo das Estrelas do NBB, neste domingo, no Ginásio Hugo Ramos, em Mogi das Cruzes. O ala deu show e faturou o título, agradando ao júri formado por Ron Harper, ex-astro da NBA, Érika, atleta da Seleção, Alex, ala de Bauru e do Brasil, Ivan Moré e Arthur Zanetti, ginasta campeão olímpico.

O Torneio de Enterradas foi um show, com jogadas de impacto, criativas e até irreverência. Teichmann, que ficou em segundo lugar, chegou a tirar uma selfie.

Mogi venceu desafio de enterradas Fotojump/LNB

Teichmann x Coimbra

Teichmann, de Rio Claro, deu o cartão de visitas. Ele jogou a bola na tabela e cravou com uma mão. Atual campeão, Coimbra, de Brasília, foi na sequência. Após errar a primeira tentativa, ele empolgou os jurados com um giro no ar e levou a melhor no duelo inicial.

Com ajuda da mascote de Rio Claro, Teichmann pegou a bola no ar, girou e cravou na segunda tentativa. Coimbra contou com o passe de Deryk para enterrar de costas. Desta vez, os jurados optaram pelo primeiro. No desempate, Teichmann jogou a bola para o ar, tirou uma selfie com a mascote e caprichou na enterrada. Coimbra apostou em nova cravada de costas. Porém, o ala-pivô de Rio Claro levou a melhor e foi para a decisão.

Mogi x Jimmy

Na outra semifinal, Mogi, de Paulistano, saltou de longe e cravou com vontade, levantando os jogadores que assistiam. Atleta da casa, Jimmy levou o público ao delírio, ao trocar de mão na hora da cravada. Vitória do ala do Mogi das Cruzes.

Na segunda rodada, Mogi saltou por cima do pivô Toyloy e novamente empolgou. Jimmy contou com ajuda do dançarino Michael Jackson e até arriscou alguns passinhos depois de enterrar. Os jurados optaram por Mogi e levaram a decisão para o desempate. O jovem do Paulistano girou no ar e, mais uma vez, chamou a atenção. Com os gritos da torcida, Jimmy cravou de costas e foi ovacionado pelo ginásio. O júri, porém, escolheu Mogi.

Final entre Mogi e Teichmann

Teichmann voou na primeira tentativa. Ele saltou quase da linha de lance livre, com a mascote deitada, e cravou com uma mão. Mogi não deixou por menos. Um giro no ar e uma enterrada de respeito. De forma unânime, ganhou o título.

* O repórter viaja a convite da LNB

Últimas de Esporte