Seleção quer vencer e convencer

Com credibilidade abalada, Brasil estreia na Copa América Centenário

Por O Dia

Estados Unidos - Com seis cortes e ainda por cima sem Neymar — convocado apenas para os Jogos do Rio —, a seleção brasileira estreia hoje no Grupo B da Copa América Centenário dos EUA. Além de ter pela frente um adversário perigoso — o Equador, às 23h (de Brasília), no Rose Bowl, em Pasadena —, a equipe de Dunga terá de lidar com a pressão de mostrar futebol convincente, sobretudo com o risco de ausência na Copa da Rússia-2018 devido ao fraco desempenho nas Eliminatórias.

Brasil inicia competição sendo pressionadoEfe

Ainda assombrado pelo fantasma dos 7 a 1 impostos pela Alemanha na semifinal do Mundial de 2014, o Brasil decepcionou na edição do ano p<CW1>assado do torneio continental (caiu nas quartas de final para o Paraguai, nos pênaltis, exatamente como na edição anterior, de 2011). Indiferente a esse (triste) passado recente, o técnico Dunga aposta em uma equipe revigorada. Nem mesmo os cortes de Douglas Costa, Rafinha, Kaká, Ricardo Oliveira, Luiz Gustavo e Éderson abalam sua confiança.

Dunga aposta em nomes como Casemiro, Renato Augusto e Philippe Coutinho para vencer a edição comemorativa da Copa América e recuperar a imagem do Brasil, que não terá o capitão Miranda, lesionado (a braçadeira deve ficar com Daniel Alves).

No treino de ontem, nas instalações da Universidade da Califórnia (UCLA), em Los Angeles, o treinador testou a dupla de zaga formada por Gil e Marquinhos e manteve o meia Ganso entre os reservas. O setor contou com Renato Augusto, Casemiro, William e Philippe Coutinho. Dunga não confirmou a escalação, mas a movimentação fez a festa de dezenas de torcedores brasileiros, que marcaram presença nas arquibancadas ao lado do campo.

Últimas de Esporte