Esperança de gol no Botafogo tem nome: Sheik

Atacante estreia, contra o Inter, no Maracanã, querendo fazer história no Botafogo

Por O Dia

Rio - Injeção de autoestima na torcida alvinegra, Emerson Sheik faz hoje sua estreia pelo Botafogo e espera iniciar mais uma fase vitoriosa na sua carreira. O atacante é a principal esperança de gols contra o Internacional, às 16h, no Maracanã. Mas como uma andorinha só não faz verão, ele conta com o apoio dos companheiros para encerrar o jejum de vitórias que já dura mais de um mês.

A expectativa em cima do multicampeão é gigante, principalmente pelo poder de decisão, coisa que tem faltado ao Glorioso. Apesar disso, Vagner Mancini não quer que caia sobre Sheik toda a responsabilidade de acabar com a má fase do time.

Emerson Sheik vai fazer sua estreia pelo BotafogoDivulgação

“Não se pode jogar um peso excessivo num atleta que chegou há cerca de uma semana. Apesar do histórico e da carreira fantástica, não é o salvador da pátria. Vai agregar muito, fazendo o Botafogo mais forte em termos de elenco, pois é o peso de um cara que ganhou tudo nos últimos cinco anos”, disse o treinador alvinegro.

Na sua primeira partida, Emerson terá a companhia de Zeballos no ataque. A mudança tem como objetivo dar mais mobilidade ao setor, que estava engessado com a dupla Wallyson e Ferreyra.

Mancini decretou o fim dos cruzamentos para El Tanque e armou um time cuja principal característica será a velocidade. Lodeiro, Zeballos e Sheik formarão o trio ofensivo que, além de chegar na área adversária, terá que ajudar na marcação.

A opção pela entrada de Lucas no lugar de Edilson também tem a ver com a mudança de cara da equipe que o treinador tenta promover. Ele considera o ex-reserva mais leve, capaz de subir ao ataque e ajudar na defesa com mais rapidez.

Como Marcelo Mattos não se recuperou das dores musculares, Airton será o primeiro volante e terá a única, mas nada fácil, função de parar D’Alessandro, o articulador do Inter.

Um time ‘gaúcho’ contra o Internacional

O Botafogo quer fazer o feitiço virar contra o feiticeiro logo mais, no Maracanã. Considerado um ‘time sem alma’ por Vagner Mancini na derrota para o São Paulo, o Alvinegro promete se inspirar no futebol gaúcho e ser aguerrido justamente contra o atual campeão do Rio Grande do Sul.

“A entrega tem que ser máxima, até não aguentar mais. A vontade não pode faltar. Deixamos a desejar nisso nos últimos jogos e temos que recuperar esta vontade”, disse o zagueiro Dória.