Jefferson defende pênalti e Botafogo busca empate no final contra o Atlético-MG

Ídolo da torcida, goleiro volta ao gol alvinegro com grandes defesas

Por O Dia

Rio - Todas as atenções estavam voltadas para o gol do Botafogo. Mais um ano depois de uma grave lesão no tríceps do braço esquerdo, o goleiro Jefferson voltava a defender a camisa alvinegra que o consagrou. A presença do ídolo, que defendeu até pênalti e fez grandes defesas, garantiu o empate do Botafogo com o Atlético-MG em 1 a 1. Marlone abriu o placar e Roger, aos 48 do segundo tempo, evitou a derrota no Engenhão, neste domingo, pelo Brasileirão.

Jefferson defendeu um pênalti quando o Botafogo perdia por 1 a 0Márcio Mercante / Agência O Dia

Em um jogo nada tranquilo para o retorno de um goleiro, o Botafogo começou a sofrer cedo. Aos nove minutos do primeiro tempo, Marlone arriscou pela primeira vez e obrigou Jefferson a espalmar para escanteio, cena que se repetiu aos 12, desta vez em chute de Elias.

Mas, aos 22, ficou indefensável. Após Matheus Fernandes ser facilmente desarmado no meio-de-campo, Marlone, mais uma vez livre de marcação, dominou na esquerda e arriscou de fora da área. A bola ainda desviou na cabeça de Emerson Silva antes de entrar no gol.

JEFFERSON DEFENDE PÊNALTI

O Botafogo tentava reagir, mas sem sucesso. O único lance de perigo saiu pouco antes do intervalo, aos 43, com uma bonita bicicleta de Rodrigo Pimpão, que Victor defendeu no canto.

O segundo tempo começou com outro lance de infelicidade de Emerson Silva: aos dois minutos, Rafael Moura chutou e a bola bateu no braço do zagueiro, dentro da área. O próprio atacante cobrou e Jefferson foi no canto esquerdo defender. A cobrança desperdiçada animou a equipe do Botafogo, que cresceu em volume de jogo, mas seguiu sem chances efetivas.

Jefferson ainda apareceria mais duas vezes para salvar o Botafogo na partida. Aos 43 minutos, Cazares fez linda jogada na área, entortando a zaga carioca, mas parou no goleiro, que saiu para abafar a jogada. Depois, aos 45, Jefferson espalmou uma bomba desferida por Robinho em grande contra-ataque do time mineiro.

Três minutos depois, já nos acréscimos, Marcos Vinicius foi derrubado na área e o árbitro marcou pênalti para o Botafogo. Roger cobrou e Victor defendeu, mas o atacante colocou para dentro no rebote.

“O que passei nesse ano foi difícil, pensei até em parar. Estou como Lázaro: Deus me ressuscitou. Eu só queria curtir esse dia. Quando eu visto a camisa do Botafogo é para dar o sangue, vou com sangue nos olhos. Estou aqui para ajudar a equipe”, afirmou o goleiro Jefferson.

FICHA TÉCNICA:

BOTAFOGO 1 x 1 ATLÉTICO-MG

BOTAFOGO - Jefferson; Arnaldo, Joel Carli, Emerson Silva e Victor Luis; Rodrigo Lindoso (Marcos Vinícius), Matheus Fernandes (Camilo), João Paulo e Bruno Silva, Roger e Rodrigo Pimpão (Guilherme). Técnico: Joel Ventura.

ATLÉTICO-MG - Victor; Marcos Rocha, Bremer, Matheus Mancini e Fábio Santos; Rafael Carioca, Yago (Adílson), Elias e Marlone (Cazares); Robinho e Rafael Moura (Fred). Técnico: Roger Machado

GOL - Marlone, aos 23 minutos do primeiro tempo; Roger, aos 46 do segundo.

CARTÕES AMARELOS - Joel Carli (Botafogo); Rafael Carioca, Matheus Mancini e Fábio Santos (Atlético-MG).

ÁRBITRO - Wilton Pereira Sampaio (Fifa/GO).

PÚBLICO - 8.443 pagantes (9.630 presentes).

RENDA - R$ 214.985,00.

LOCAL - Engenhão.