Esquentam os motores para o Fla-Flu

Enquanto os rubro-negros apostam no artilheiro velocista Marcelo Cirino, tricolores têm na correria da garotada o combustível de Fred

Por O Dia

Rio - Com o pé no acelerador, Flamengo e Fluminense batem de frente, domingo, no Maracanã, numa espécie de ‘Velozes & Furiosos’ da bola. O sétimo filme da franquia, que estreou nos cinemas, bem que poderia usar o clássico como peça publicitária. Do lado rubro-negro, Marcelo Cirino pisará fundo, auxiliado por Paulinho, Gabriel, Márcio Araújo e Pará na carona. Já pelo Tricolor, Kenedy, Gerson, Wagner e Jean servem de motor de arranque para Fred.

A má notícia para o Flamengo é que Vanderlei Luxemburgo ficará fora do banco de reservas no clássico de domingo. o STJD decidiu manter suspensão de dois jogos por entender que ele ofendeu a federação.

A rivalidade é o combustível. E, assim, o Fla-Flu promete ser sucesso de público e bilheteria — 15.087 ingressos haviam sido vendidos até às 16h de ontem. O empate garante o Flamengo na semifinal. Para o Fluminense, uma derrapada pode deixar o time para trás na corrida por uma vaga no G-4.

Marcelo Cirino é o artilheiro do Campeonato Carioca com nove gols, ao lado de Rodrigo Pinho, do Madureira, e Fred. O atacante rubro-negro não estava acostumado ao papel de goleador, mas sua velocidade sempre chamou a atenção. No Atlético-PR, foi apelidado de Marcelo Bolt.

Kenedy é o motorzinho do FluminenseAndré Mourão

“Virou uma marca registrada. Seria legal se o apelido pegasse aqui também”, disse o camisa 7, que, desde os tempos na Escola Adaile Maria Leite, em Maringá, fazia os outros alunos comerem poeira.

LEIA MAIS: Notícias, resultados e bastidores do Campeonato Carioca

“Os professores falavam para eu tentar o atletismo, mas o meu forte sempre foi o futebol. Quando os profissionais (do futebol) viram a minha velocidade, procuraram trabalhar isso da melhor maneira possível. No Flamengo não está sendo diferente”, emendou.

No Fluminense, se o responsável por atropelar as defesas adversárias com gols é Fred, Kenedy, Gerson, Wagner e Jean correm pelo camisa 9. No pega de domingo, eles terão a missão de mais uma vez encher o tanque do artilheiro. Edson confia na vitória tricolor no pega de domingo.

“Ricardo (Drubscky) teve a semana livre para poder trabalhar da maneira que ele queria. O Flamengo tem um ataque veloz, mas nós também temos. Temos Kenedy, Gerson e Jean chegando bem na área. Vamos fazer de tudo para sair com a vitória. Só a vitória nos interessa”, disse o volante.

Além de goleador, Marcelo Cirino se destaca por velocidadeErnestto Carriço

VANDERLEI PÕE GABRIEL E MANTÉM MUGNI

Vanderlei Luxemburgo escalou ontem Gabriel no lugar de Eduardo da Silva, no coletivo realizado no Ninho do Urubu. Uma forma de envenenar ainda mais o motor do Flamengo, que tem na velocidade justamente seu ponto forte. O camisa 17 havia sido poupado da atividade da véspera.

Outro que voltou a treinar sem problemas foi Anderson Pico. O lateral, porém, treinou no time reserva. Vanderlei manteve Luiz Antonio na direita, e Pará, na esquerda. E Mugni mais uma vez atuou como volante, ao lado de Márcio Araújo.

O treinador ainda pode colocar Anderson Pico no time titular, se sentir confiança na condição física do jogador. Neste caso, Pará voltaria para a posição de origem, e Luiz Antonio ficaria à disposição para o meio-campo. Outro que tem chance de começar jogando é Cáceres, que se reapresentou ontem à tarde, depois de servir a seleção paraguaia.

O coletivo durou pouco menos de uma hora, mas a imprensa só teve acesso aos dez minutos finais . Everton, Canteros, Arthur Maia, Nixon e Samir estão vetados.

PARA NÃO ERRAR NA RETA FINAL

O Fluminense depende apenas de suas forças para chegar às semifinais do Carioca. E é isso que preocupa os jogadores mais experientes. A responsabilidade de ter de vencer o Flamengo, domingo, e o Madureira, na quarta-feira, aumenta a pressão nas Laranjeiras. Atento, Diego Cavalieri pediu atenção e cobrou tranquilidade para não errar.

“É complicado. Todo jogo tem uma pressão. Para nós não existe um outro resultado sem ser a vitória.É um jogo difícil, equilibrado contra o Flamengo. Tem de estar focado. Precisamos ir de maneira organizada e fazer esse placar de maneira natural”, disse o camisa 12.
O goleiro ainda comemorou o fato de o técnico Ricardo Drubscky poder repetir a escalação da equipe pela terceira vez consecutiva. “Isso traz um entrosamento mais rápido”, vibra, satisfeito.

Ontem, Drubscky comandou treino tático em campo reduzido nas Laranjeiras. Gerson, Wagner e Kenedy fizeram trabalho na academia, mas jogam o clássico. Walter voltou a treinar com a equipe, mas negocia sua ida para o Atlético-PR.