Vasco ri por último, empata e mantém invencibilidade sobre o Flamengo

Riascos brilha e deixa tudo igual no clássico em Brasília

Por O Dia

Brasília - A rivalidade entre Flamengo e Vasco aumentou a temperatura de Brasília. Foi um clássico apimentado, com provocações e doses de emoção. O empate por 1 a 1, no Mané Garrincha, porém, foi melhor para o Gigante da Colina. O Cruzmaltino mantém a invencibilidade no Campeonato Carioca e sobre o rival - agora são oito jogos (cinco vitórias e três empates) sem perder para o Rubro-Negro.

Vasco buscou empate e conseguiu manter invencibilidadePaulo Fernandes/Vasco.com.br

O Flamengo bem que tentou dar um bico na crise, em semana marcada por invasão de torcedores ao Ninho do Urubu, mas parou na trave e em Martín Silva. O fantasma de 2015 - a bola aérea - voltou a perturbar o sono da torcida rubro-negra. O time reencontrou o gol - o jejum era de quatro jogos -, mas a seca de vitórias continua. Agora são cinco jogos sem vencer, contando Carioca, Primeira Liga e Copa do Brasil.

O Vasco mantém o bom momento. A atuação foi longe de empolgar - o Flamengo foi superior no primeiro tempo. Porém, mais uma vez o time mostrou consistência e buscou o empate, suficiente para manter a invencibilidade no Carioca e sobre o rival.

O clássico "começou" fora de campo, com o esforço das equipes por Martín Silva e Guerrero, que defenderam Uruguai e Peru, respectivamente, pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo. A estrela do goleiro brilhou. Ele salvou o Vasco no primeiro tempo, justamente no duelo com o atacante rubro-negro. Guerrero ainda sofreu na "rivalidade" com Rodrigo.

O Vasco agora tem dez pontos, na liderança da Taça Guanabara. O Flamengo ocupa a sexta colocação, com cinco pontos.O Rubro-Negro tem mais um clássico pela frente na próxima rodada. No sábado, vai enfrentar o Botafogo, sábado, às 16h, em Juiz de Fora. O Gigante da Colina volta a campo no domingo, quando receberá o Volta Redonda, às 16h, em São Januário.

Marcelo Cirino é abraçado por companheiros após marcarGilvan de Souza / Flamengo / Divulgação

O jogo

O clássico começou agitado. Logo no primeiro minuto, Sheik foi lançado, após cobrança de falta, e chutou de esquerda. Martín Silva defendeu. O Flamengo pressionava o rival e era superior. O Vasco ameaçou com descida de Madson, nas costas de Jorge. Paulo Victor saiu nos pés do lateral-direito para salvar.

FOTOGALERIA: Vasco busca empate e mantém escrita contra o Flamengo

O clima era quente. Rodrigo e Guerrero se provocavam e se estranhavam - uma rivalidade desde 2015. O atacante peruano deixou o braço no rival e foi punido apenas com cartão amarelo. O camisa 9, para desespero da torcida rubro-negra, desperdiçou a chance de abrir o placar. Rodinei cruzou da direita. Guerrero finalizou e Martín Silva fez milagre. No rebote, na pequena área, o centroavante perdeu de novo, em nova defesa do uruguaio, que estava caído no gramado, em cima da linha.

O esforço do Vasco pelo goleiro, que voltou da seleção uruguaia em voo fretado, foi justificado novamente. Jorge arriscou de fora da área e viu Martín Silva brilhar mais uma vez, em outra defesa difícil. O clássico era quente. Após cobrança de falta, Rodrigo segurou Guerrero na área. A arbitragem ignorou o pênalti.

Riascos empatou o jogo para o VascoPaulo Fernandes/Vasco.com.br

O Flamengo era superior, mas parava em Martín Silva. Guerrero lançou Ederson. Com o pé direito, o goleiro uruguaio salvou o Vasco. O árbitro Wagner do Nascimento Magalhães tinha trabalho em campo. Márcio Araújo, que já tinha amarelo, fez falta dura em Nenê. O juiz "aliviou" e não expulsou o volante rubro-negro. Jorginho foi obrigado a mudar o time ainda na etapa inicial. Jorge Henrique, com um problema físico, deu lugar a Caio Monteiro.

O Vasco voltou para o segundo tempo com Diguinho no lugar de Julio dos Santos, que já tinha cartão amarelo. A primeira chance da etapa final foi cruzmaltina. Caio Monteiro parou em saída arrojada de Paulo Victor. O Gigante da Colina passou a ser superior. O Flamengo não se encontrava. Muricy Ramalho tentou mudar o panorama com Alan Patrick, na vaga de Ederson, e Marcelo Cirino, que substituiu Sheik. A última cartada de Jorginho foi Riascos no lugar de Thalles.

O Flamengo melhorou. E foi justamente a dupla que entrou que fez a diferença. Alan Patrick achou Marcelo Cirino. De cabeça, ele superou Martín Silva e abriu o placar. Foi o primeiro gol de Cirino em clássicos. Mas a estrela de Jorginho e de Riascos também brilhou. O atacante, após cobrança de escanteio, empatou. O colombiano voltou a jogar após um mês fora, em virtude de uma lesão muscular na coxa direita.

A vitória do Flamengo parou na trave. Willian Arão, no susto, acertou o pé da trave, já nos acréscimos. No rebote, foi bloqueado e viu a chance de ser herói escapar. 

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 1X1 VASCO

Estádio: Mané Garrincha
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães
Gols: Marcelo Cirino (Flamengo, aos 33' do 2ºT) e Riascos (Vasco, aos 36' do 2]T)
Cartão amarelo: Márcio Araújo, Guerrero e Jorge (Flamengo) e Julio dos Santos, Jorge Henrique, Martín Silva e Marcelo Mattos (Vasco)
Cartão vermelho: -

FLAMENGO: Paulo Victor; Rodinei, Juan, Wallace e Jorge; Márcio Araújo, Willian Arão e Ederson (Alan Patrick, aos 22' do 2ºT); Gabriel, Emerson Sheik (Marcelo Cirino, aos 29' do 2ºT) e Guerrero; Técnico: Muricy Ramalho.

VASCO: Martín Silva; Madson, Luan, Rodrigo e Julio Cesar; Marcelo Mattos, Julio dos Santos (Diguinho, no intervalo) e Andrezinho; Nenê, Jorge Henrique (Caio Monteiro, aos 43' do 1ºT) e Thalles (Riascos, aos 28' do 2ºT); Técnico: Jorginho.