Centroavantes da final, Guerrero e Dourado têm o mesmo número de gols no ano

Peruano e o Ceifador balançaram as redes em dez oportunidades em 2017

Por O Dia

Rio - Flamengo e Fluminense foram donos das melhores campanhas no Campeonato Carioca, conseguiram a classificação nas semifinais e vão decidir o Estadual em duas partidas no Maracanã. As duas equipes têm esquemas táticos bem distintos, mas ambas atuam com um centroavante fixo. Henrique Dourado e Guerreiro são jogadores com características diferentes. Enquanto o peruano é um dos jogadores mais badalados do Flamengo, o Ceifador começa aos poucos a conquistar o coração da torcida tricolor. Em 2017, os dois marcaram o mesmo número de gols com a camisa dos clubes que defendem. Em uma final de campeonato a bola costuma procurar ainda mais o artilheiro. Os dois já marcaram na final da Taça Guanabara, mas agora buscam a consagração na decisão do Estadual. 

Guerrero e Dourado são os centravantes da decisão Arte%3A O Dia Online

Melhor ano do peruano

No Flamengo desde 2015, Guerrero sempre teve o apoio da torcida rubro-negra. Porém, o peruano nunca teve uma aproveitamento de gols tão alto quanto o atual. Na primeira temporada, quando chegou no meio do Brasileiro, o atacante fez apenas quatro gols em 18 partidas. No ano passado, o lado goleador do peruano não se aflorou. Em 43 jogos, Guerrero balançou as redes 18 vezes. Em 2017, a sorte parece ter virado para o atacante. Em 14 jogos, Guerrero já balançou as redes em dez oportunidades. Pelo Carioca, ele marcou nove vezes e é no momento o artilheiro da competição, ao lado de Adriano, do Nova Iguaçu. Contra o Fluminense, Guerrero marcou uma vez na decisão da Taça Guanabara. Apesar disso, não conseguiu evitar o título do Tricolor na disputa por pênaltis. O peruano espera que a história seja diferente na final do Carioca.

Volta por cima do Ceifador

Henrique Dourado chegou ao Fluminense no ano passado com a ingrata decisão de substituir Fred, terceiro maior artilheiro do Tricolor, que deixou o clube após sete anos. O Brasileirão de 2016 não foi positivo para o Ceifador. Com apenas dois gols em 14 jogos, o atacante perdeu até a vaga de titular na equipe comanda por Levir. A sua saída da equipe foi especulada, mas com a chegada de Abel Braga, Dourado ganhou moral e começou a marcar com a camisa tricolor. Em 17 jogos, o Ceifador balançou as redes por dez vezes. Na decisão da Taça Guanabara, o atacante marcou um dos gols do Fluminense no empate com o Flamengo. Nos pênaltis, o Tricolor levou a melhor e conquistou o título. O Ceifador espera voltar a fazer história nos dois Fla-Flus decisivos pela final do Carioca.