Jefferson exalta papel de Neymar: ' Uns carregam piano, outros tocam'

Goleiro da Seleção destaca a importância do camisa 10, mas também faz questão de elogiar os outros jogadores do elenco

Por O Dia

Chile - A 'Neymardependência' tem sido uma das grandes discussões em torno da Seleção Brasileira antes e durante a Copa América do Chile. Principal estrela do esquadrão amarelinho, o camisa 10 foi o destaque da vitória sobre do Brasil por 2 a 1 sobre o Peru na estreia da competição, com um gol e uma assistência para o tento de Douglas Costa. Apesar do papel preponderante do capitão da equipe, Jefferson afirma que o time não é refém apenas do craque.

LEIA MAIS: Confira notícias e resultados da Copa América

"O Neymar assumiu um papel fundamental na Seleção, de protagonismo, é nosso capitão. É um jogador diferenciado, fora do normal, e todo mundo sabe. Muita gente fora do Brasil ainda critica o Neymar e não entendemos. É um jogador que tem feito a diferença na Seleção e no Barcelona. Alguns têm que carregar o piano e outros têm que tocar. Entendemos que os atacantes decidem", disse.

Jefferson fez questão de destacar o papel e a importância de Neymar para a seleção brasileiraReuters

Constantemente envolvidos em pôlemicas pelo seu estilo de jogo mais solto, Neymar ganhou mais um defensor pelo jeito alegre de jogar. Segundo Jefferson, o atacante não procura menosprezar o adversário com jogadas de efeito e sim buscar o ataque.

"Neymar tem um estilo de jogo alegre, ousado, para frente. Temos que entender. Em nenhum momento, entendemos que ele esnoba os adversários. Pelo contrário, quer sempre atacar, levar para cima com respeito. É o estilo dele e ficamos bastante motivados por termos um jogador que chama a responsabilidade, vem buscar a bola", afirmou o arqueiro, que aproveitou para dizer que Seleção não joga em função do camisa 10.

VEJA MAIS: Confira a tabela e classificação da Copa América

"A Seleção não joga em função do Neymar. Ele que tem confiança, alegria, e chama essa responsabilidade. É diferente. Jogamos sem ele contra o México e fizemos uma grande partida. A diferença é que ele chama a responsabilidade, mas temos jogadores que também podem fazer a diferença."

O goleiro também aproveitou a oportunidade para se justificar pelo erro no gol do Peru, após ter saído jogando errado e entregado no pé de Cueva para marcar. O arqueiro lamentou a falha, mas disse ter ficado feliz com sua atuação depois do erro cometido.

"No intervalo do jogo com o Peru, já tinha falado com o Taffarel que poderia ter chutado a bola. Foi um lance muito rápido. Quando o David cortou para o meio, a bola já sobrou para mim. Se caísse um pouco mais na esquerda, teria dado o chutão. São coisas que acontecem para aprender. Depois, empatamos e pude fazer uma partida segura", analisou.

Últimas de _legado_Copa América