Chile prega respeito e vê jogo contra Espanha como uma final

Duelo pode decidir a eliminação da Fúria da Copa do Mundo

Por O Dia

Minas Gerais - O Chile está bem treinado também fora de campo. Antes do duelo contra a Espanha, os jogadores evitam qualquer tipo de provocação e pregam respeito ao time comandado por Del Bosque. Tanto Felipe Gutiérrez quanto Esteban Paredes, ambos reservas, classificaram a partida como sendo fundamental para chegar às oitavas de final.

"Sabemos que a Espanha vai se jogar à frente, não há outra opção. Mas vamos procurar ter a bola e não vamos nos entregar. Para eles, é um jogo de vida ou morte, mas para nós é uma final", disse o atacante chileno.

Esteban Paredes e Felipe Gutiérrez concederam entrevista coletiva neste domingoEfe


LEIA MAIS: Notícias e bastidores da Copa do Mundo

Os atletas se apegaram a um fato histórico para respeitar a Espanha. Em 2010, a Fúria também iniciou a Copa do Mundo perdendo. Na ocasião, foi derrotada pela Suíca por 1 a 0, mas se recuperou e conquistou o título do Mundial da África do Sul sobre a Holanda. Para os jogadores, mesmo respeitando os espanhóis, o Chile deve partir para o ataque.

"Creio que nenhuma equipe pressiona como nós pressionamos no ataque. Temos que saber usar isso. Temos uma rapidez muito grande do meio para frente. Temos Alexis (Sánchez) que pode explorar esse fator, como fez a Holanda. Esta pode ser a chave do nosso jogo, usando os contragolpes", analisou Paredes.

Gutiérrez ressalto que a Espanha alterou seu modo de atuar desde o último Mundial, mas continua sendo muito perigosa.

"Não é a mesma Espanha de quatro anos atrás. Mas não os vejo vulneráveis, ao contrário, hoje têm mais experiência. Seguem sendo candidatas ao título", afirmou o jogador de 24 anos.

Últimas de _legado_Copa do Mundo