Marcelo minimiza críticas aos laterais da Seleção: 'Não estou sabendo disso não'

Em tom crítico, jogador também descarta tensão do Brasil na Copa do Mundo: 'Preocupação não é a palavra certa'

Por O Dia

Rio - O início de tarde da Seleção foi marcado pelo tom crítico que as coletivas desta sexta-feira chegaram a protagonizar. Além de David Luiz, Marcelo esteve na sala de imprensa da Granja Comary e voltou a apresentar o estilo seco e ríspido em algumas respostas. O que mais marcou a conversa, no entanto, foi a minimização das críticas que vem recebendo ao lado de Daniel Alves. Tudo certo nas laterais brasileiras.

LEIA MAIS: Notícias e bastidores da seleção brasileira na Copa do Mundo

"Não sei, cara. Não vi crítica assim não. Não reparei nisso e se estão criticando não sei. Cada um tem sua opinião e eu respeito", disse Marcelo.

Se o empate com o México passou a preocupar os brasileiros na luta pelo hexa, Marcelo viu o fato de maneira diferente. Segundo o lateral, a Seleção continua focada e trabalhando para conseguir levantar a taça de campeã.

Marcelo diz que Seleção está tranquila na Copa%3A 'Preocupação não é a palavraDivulgação

"Não é preocupação. A gente sabe da responsabilidade que temos. sabemsos o que tem que ser feito em cada jogo. A gente tem que treinar e fazer o que o professor e o Paixão pedem para a gente. Não é preocupado, essa não é a palavra. Estamos dando o máximo para ficar bem, jogar bem e ganhar", disse.

VEJA MAIS: Confira a tabela e a classificação da Copa do Mundo

Questionado sobre algum problema físico que possa atrapalhar o rendimento na Copa, Marcelo também não quis muito papo. A certeza é de total bem-estar: "Me encontro bem. Antes dos dois jogos da Copa eu também me encontrava. Antes dos dois amistosos também me encontrava bem. Na final pelo Real Madrid também. Ah, me encontro bem agora também".

Carinho da torcida

Dá tempo de ver as cartas sim. A gente não vê esse carinho não só nas cartas, mas até nas redes sociais também. Estamos recebendo muito apoio dos torcedores e, principalmente, das crianças. Levamos isso para o campo. Sabemos o que representamos e isso nos deixa ainda mais unidos e fortes.

Dificuldade com os adversários

Várias seleções já nos estudaram e as coisas estão ficando um pouco mais difícil. A gente sabe o que tem que ser feito, o que o Felipão fala com a gente... Copa do Mundo é assim. Cada jogo é mais difícil que o outro. Tentamos dar o nosso máximo dentro de campo para sair com a vitória. Mas a cada dia que passa fica mais difícil.

Emoção no hino

Quando os torcedores cantam com a gente é algo de outro mundo. Quem está dentro de campo sabe como é. É uma forma deles estarem com a gente lá dentro.

David Luiz e Marcelo recebem milhares de cartas da torcida para a seleção brasileiraDivulgação

Má fase de Fred

A gente não trabalha só para o Fred. Temos vários jogadores que tocamos a bola. Aqui o trabalho é de todo mundo. Não pensamos só ele e ele também não. Aqui nós pensamos no coletivo, no grupo.

Gol de falta

Não tivemos muitas faltas perto da área e se alguém fizer um gol assim acho que será o Neymar, porque ele é um dos primeiros batedores. Provavelmente ele vai bater e, se acontecer gol, será dele por isso.

Jogo contra Camarões

Será muito difícil. Além deles não terem responsabilidade, não há jogo fácil em Copa. Sabemos como eles são: fortes e de qualidade. Mas vamos para o jogo fazendo o nosso trabalho e respeitando sempre os nossos rivais.

Resultado surpreendente

Acho que o do jogo entre Holanda e Espanha. O placar foi o que mais me surpreendeu por serem duas seleções que estão sempre em alta.

Relação com o público

Estamos tentando estar sempre mais reservados e pensar só no futebol, o que é algo impossível pois temos família e amigos. Temos que saber o que acontece lá fora. Mas tentamos ficar sempre focados aqui e entender o que o companheiro está precisando. Vale o futebol.

A liderança de Fred

O Fred é um líder dentro e fora de campo. É um cara de muito bom coração e, com certeza, está nos ajudando muito. Fora de campo com a responsabilidade e dentro de campo com o trabalho: marcando, correndo, ajudando. Isso faz ele ser muito mais que um líder.

Poucos treinos?

Eu não sou formado em Educação Física. Tem que perguntar isso para o Paixão, ele que resolve tudo. Estamos muito bem, ninguém está lesionado. Todos com muita energia, força. Os trabalhos estão sendo muito bons para a gente.

Problemas pessoais

Cada um tem seus problemas e resolvem como acham que devem. Eu tenho os meus e não passo para ninguém. Quem resolve sou eu e minha família. Meu pensamento aqui não vai mudar por algum problema dentro de casa. Minha cabeça está focada na Copa do Mundo e vou dar o máximo para conquistar o título.


Últimas de _legado_Copa do Mundo