Cerimônia de encerramento da Copa terá astros da música internacional

Shakira, Santana, Wyclef Jean, Alexandre Pires e Ivete Sangalo cantarão seus sucessos antes da grande final no Maracanã. Bateria da Grande Rio encerra o evento em ritmo de Samba

Por O Dia

Rio - A final da Copa do Mundo contará com uma cerimônia de abertura recheada de grandes astros da música internacional. Santana, Wyclef e Alexandre Pires subirão no palco do Maracanã às 15h20 do dia 13 de julho para cantar a música "Dar Um Jeito". Em seguida Shakirá irá se apresentar cantando a música "La La La", tema oficial da competição, e terá a companhia de Carlinhos Brown. Por fim, a cantora Ivete Sangalo irá cantar músicas famosas nacionalmente com participação especial de Alexandre Pires. A colombiana Shakira se mostra feliz por mais uma vez cantar a música que embala os jogadores durante a Copa.

"Estou emocionada de poder cantar minha música 'La la la' na cerimônia de encerramento da Copa do Mundo da FIFA. Tenho uma profunda relação com o futebol, por motivos óbvios, e entendo perfeitamente o que a Copa do Mundo significa para muitas pessoas, inclusive para mim. Sou muito grata pela oportunidade de me apresentar na cerimônia de encerramento da Copa do Mundo deste ano, no Brasil. Os torcedores abraçaram essa música de forma incrível. Mal vejo a hora de cantá-la para eles", comentou Shakira.

Shakira vai cantar na festa de encerramento da CopaReuters

Aqueles que curtem um bom samba também ficarão felizes com a cerimônia. A bateria da Grande Rio irá se apresentar como parte de uma homenagem a cidade sede da grande final da Copa do Mundo. Outro artista internacional do evento, Wyclef Jean mostrou empolgação com a sua participação.

"A excelência é algo pelo qual todos ansiamos nesta vida. É algo com que, no fundo, todos sonhamos. Poder me apresentar na cerimônia de encerramento da Copa do Mundo, com todos esses grandes artistas, me remete aos primeiros anos da minha infância em Croix-des-Bouquets, Haiti, quando o simples ato de chutar uma bola de futebol nas ruas do meu vilarejo era um privilégio e uma honra. Para mim, isso simboliza o direito de um menino de sonhar e perceber que a excelência não pode ser alcançada quando não há desejo de realizar esse sonho", disse o artista americano.

Últimas de _legado_Copa do Mundo