Gandulas e carregadores de bandeira realizam sonho de participar da Copa

Jovens estarão na partida entre Brasil e Colômbia, nesta sexta-feira, na Arena Castelão, às 17h

Por O Dia

Rio - Esta sexta-feira, dia 4 de julho, será inesquecível para um grupo de 52 jovens: eles entrarão em campo para as partidas das quartas de final da Copa do Mundo. Coadjuvantes numa festa protagonizada pelas seleções de Brasil, Colômbia, França e Alemanha, os gandulas e carregadores de bandeira também tiveram de passar pela típica concentração antes de um jogo de futebol. Tanto no Rio quanto em Fortaleza, eles se juntaram bem cedo para entrar no clima da partida. 

Em Fortaleza, onde será realizado o duelo entre Brasil e Colômbia, no grupo formado por 14 gandulas e 12 carregadores de bandeira, poucos conseguiam disfarçar a ansiedade de participar de um jogo de Copa do Mundo e bem próximos dos ídolos.

Com a missão de ser uma das carregadoras da bandeira brasileira, a jovem Ana Livia Vieira sabe que milhares de outros jovens dariam qualquer coisa para estar no lugar dela. "Vai ser uma grande honra levar a bandeira do Brasil, vou mostrar que gosto muito do meu país e prometo fazer tudo direitinho. Estou muito feliz com essa oportunidade que a Coca-Cola me proporcionou. É um sonho fazer parte de um evento como esse, saber que milhões de pessoas estarão assistindo", disse.

Ana Livia será carregadora de bandeira no jogo entre Brasil x ColômbiaDivulgação

Essa será a segunda vez que Ana Livia, 15 anos, pisará no Castelão. Ele esteve no estádio para assistir à partida entre Grécia e Costa do Marfim. "Fiquei impressionada com as torcidas, com alegria, a festa e a paixão que eles demonstram pelo país. E é isso que eu quero mostrar ali, carregando a bandeira do Brasil", afirmou.

Ana ganhou a vaga de carregadora de bandeira por causa da mãe, Ana Hercília dos Santos. Catadora de material reciclável, Hercília integra o grupo que está trabalhando no Castelão, no programa de gerenciamento de resíduos promovido pela Coca-Cola. A jovem ganhou o direito de estar na abertura solene da partida ao ser sorteada entre os filhos dos 70 catadores que, ao lado de Antônia, estão desde o dia 21 de maio trabalhando na arena.

Entre os gandulas da partida, a expectativa também é grande. "Estou muito ansioso. É uma expectativa muito grande estrear em uma Copa do Mundo justamente em um jogo do Brasil. Mas sei que tenho que estar focado na minha tarefa. Não posso demonstrar essa ansiedade. Torcer pelo Brasil, só internamente", conta Tauan Rocha, 16 anos, que já foi gandula na Copa das Confederações e estreia na Copa do Mundo.

"É uma sensação única de quem está ali representando o seu país. Sei que tenho que fazer o que treinamos, mas é diferente porque é Brasil", acrescenta o jovem, que aposta em uma vitória do Brasil por 2 a 1 sobre a Colômbia, com gols de Neymar, David Luiz e James Rodríguez.

O coração de Philipe Ripardo, 16, também bate mais fortemente por participar de um jogo do Brasil. Ele já atuou nesta Copa do Mundo como gandula na partida Holanda x México, mas está ansioso para ver seus ídolos de perto. "Só de vê-los de perto já é um sonho realizado. Nem acredito que vou assistir a um jogo com Neymar e Paulinho. É a seleção do nosso país. Vou poder contar para os meus filhos", comemorou o jovem, que apesar da pouca idade já tem um filha de 4 meses.

Os gandulas foram selecionados através da Copa Coca-Cola, campeonato de futebol realizado em todo o Brasil pela Coca-Cola, que reuniu mais de 10 mil jovens. Os times vencedores das etapas regionais e nacional ganharam a oportunidade de participarem de treinamento para gandulas na Copa do Mundo. Os 445 aprovados no treinamento estão atuando nas 64 partidas do Mundial.

No Rio, filho de catadora de resíduos é uma das carregadoras de bandeira do jogo entre França e Alemanha

No Rio, o grupo de 26 jovens precisou acordar bem cedo. Por volta de 6h, todos já estavam prontos para seguir em direção ao Maracanã, para o jogo França x Alemanha. Um dos mais entusiasmados era Pablo Roque da Silva, de 15 anos. O jovem também ganhou a vaga de carregador de bandeira ao ser indicado pela mãe, a catadora Maria de Fátima Santos. "Quando me falaram, achei que ia ter que concorrer à vaga! Não sabia que era uma vaga pros filhos de catadores. Fiquei muito feliz".

Feliz, mas discreto. Pablo conta que não disse pra ninguém que vai participar. "Não falei na escola (o colégio Pedro Aleixo, na Cidade de Deus) nem na rua. Prefiro que eles descubram ao me ver na televisão", diverte-se o menino.

Na casa dele, normalmente a família se reúne para os jogos do Brasil. Mas, nesta sexta-feira, a festa começa cedo, para assistirem Pablo em campo. "Eu não contei pros meus amigos, mas minha mãe falou pra um montão de gente. Vai juntar todo mundo lá em casa".

Últimas de _legado_Copa do Mundo