'Agora é foco na Copa Libertadores', diz Jayme, após título da Taça Guanabara

Treinador afirma que conquista dá mais motivação e convoca torcida para jogo contra o Bolívar, nesta quarta, no Maracanã

Por O Dia

Rio - Com a vitória de 2 a 0 sobre o Botafogo, no clássico deste domingo, no Maracanã, o Flamengo conquistou a Taça Guanabara. Apesar da comemoração ter sido tímida, sem a presença da taça no gramado e público de 12.000 presentes, Jayme de Almeida foi para o vestiário para a coletiva. Apesar de campeão, o treinador rubro-negro mostrou-se sereno, como de costume, mas lembrou que o título dá uma motivação maior para a equipe e convocou a torcida para o confronto desta quarta-feira, contra o Bolívar, pela terceira rodada da Copa Libertadores.

Depois da tímida comemoração pelo título da Taça Guanabara, Jayme volta o foco para LibertadoresAlexandre Brum / Agência O Dia

"O título (da Taça Guanabara) dá uma motivação maior, mas não tem nada ganho. Esperamos a torcida em peso no Maracanã (para o confronto com o Bolívar) e isso nos deixa com a certeza de um bom jogo, com luta, vontade e equilíbrio. Vamos jogar com intensidade ao lado da torcida. Precisamos do resultado e uma vitória será um passo importante para a classificação", disse Jayme, que deu folga aos atletas nesta segunda-feira.

"Foi muito bom ser campeão, mas já falei para o grupo: agora é descanso e repouso porque quarta-feira vai ser muito difícil. Vamos ter que jogar para ganhar do Bolívar. Agora é foco total na Libertadores", pediu o técnico do Flamengo.

Jayme espera um confronto complicado para esta quarta-feira. Embora o adversário tenha apenas um ponto no torneio, ocupando a última colocação do Grupo 7, o treinador analisou o time do Bolívar e acha que a partida requer cuidado.

"O Bolívar é um time que se defende bem, que tem jogadores bons que atuam pelos lados do campo, um centroavante grande... Eles jogaram no erro do Emelec em Guayaquil e tiveram chances de ganhar. Mas desperdiçaram as oportunidades e foram derrotados com um gol de escanteio. O time deve vir fechado, apostando nos contra-ataques. Temos de ter muito cuidado e não tentar resolver o jogo de qualquer maneira. Não podemos dar espaços", comentou o Jayme.

Sobre a possível ausência de Léo Moura, Jayme disse que espera contar com o camisa 2. O lateral direito pediu para sair do clássico deste domingo, contra o Botafogo, ainda no primeiro tempo, reclamando da coxa esquerda. O técnico lembrou, entretanto, que o capitão da equipe tem um bom substituto.

"Ninguém gosta de perder jogador. Léo Moura é o nosso capitão e é dúvida para a partida. Vamos ver como ele vai reagir ao tratamento. Mas confiamos em nossos atletas. Se ele não puder jogar, tomara que não aconteça, temos o outro Léo que vai entrar e dar conta do recado", finalizou Jayme.