Carlos Eduardo dispara: 'Ninguém mais vai querer jogar no Flamengo'

Meia criticou atual gestão do departamento de futebol do Fla

Por O Dia

Rio - Com passagem recente pelo Flamengo, o meia Carlos Eduardo demonstrou insatisfação no tempo que ficou no clube. Em entrevista à Fox Sports, o jogador do Rubin Kazan, da Rússia, criticou a gestão atual do futebol do clube da Gávea e a forma como Jayme de Almeida e André Santos foram tratados pela diretoria..

"Claro que é chata a situação como o Jayme saiu e, agora, o André (Santos). O torcedor tem todo o direito de cobrar, já que paga ingresso. Mas não pode chegar a esse ponto (de agressão). Isso mancha o clube, que fica mal visto perante a todos. Aqui na Rússia falaram disso. Sofri uma pressão muito forte e, muitas vezes, exagerada. Daqui a alguns anos, ninguém mais vai querer jogar no Flamengo", afirmou Carlos Eduardo, que também alertou que no futebol do clube existe intromissão de diversas pessoas. "São muitas pessoas se metendo (no futebol). É muita gente dando opinião. Vaza contrato, quanto jogador ganha e muita coisa que não tinha que sair", finalizou.

Carlos Eduardo criticou a forma como a diretoria tratou André Santos e Jayme de AlmeidaMárcio Mercante / Agência O Dia

Meia reconhece que não foi bem no Fla

Apesar de ter tido um bom relacionamento com os jogadores, o meia descartou qualquer possibilidade de retorno ao Rubro-Negro no futuro. Ele reconheceu que não teve boas atuações em sua passagem na Gávea.

"Não fui bem. Tenho ciência disso. Ganhei uma Copa do Brasil como titular e um Carioca. Mas acho que, se a torcida me apoiasse desde o começo, poderia ter sido diferente. Antes dos jogos, já ouvia xingamentos e uma pressão grande. Isso me atrapalhou", reconheceu.

Preocupado com a má fase do Flamengo no Campeonato Brasileiro, o clube é último colocado com apenas sete pontos, o jogador disse que acredita na capacidade do elenco de reagir.

"O grupo é sensacional. Acredito na volta por cima. Atualmente, tenho falado mais com o Chicão, que é meu amigo", destacou Carlos Eduardo, que garantiu que a diretoria cumpriu com todos os compromissos a respeito de sua rescisão contratual.