Com Paulo Victor, tradição em boas mãos no Flamengo

Goleiro mantém rotina de exímios pegadores de pênaltis

Por O Dia

Rio - A espera foi grande, mas enfim chegou a vez de Paulo Victor. Cria do Flamengo, o goleiro de 27 anos e que está nos profissionais desde 2007, conviveu longo tempo na reserva até ganhar, este ano, uma sequência como titular. Garantido no time, ele tem mostrado que a tradição rubro-negra de ter exímios pegadores de pênaltis está em boas mãos.

Paulo Victor defendeu duas cobranças contra o CoritibaAndré Mourão

Sem perder uma disputa de penalidades desde 2004, quando foi eliminado pelo Santos na Copa Sul-Americana, o Flamengo se acostumou a comemorar defesas de seus goleiros. Primeiro com Bruno, que garantiu a conquista de dois títulos estaduais contra o Botafogo (em 2007 e 2009), além de pegar duas cobranças de Ganso contra o Santos, em 2009, na arrancada rumo ao hexa brasileiro.

LEIA MAIS: Flamengo x Grêmio já tem 40 mil ingressos vendidos

O ex-goleiro, preso desde 2010, era um dos grandes amigos de Paulo Victor, que treinou bastante com ele e viu Bruno pegar 15 pênaltis pelo Flamengo. Na sequência, Felipe foi decisivo na conquista do Estadual de 2011, em disputas por pênaltis nas semifinais da Taça GB e da Taça Rio, contra Botafogo e Fluminense, e na final com o Vasco. O goleiro pegou 11 cobranças ao todo pelo clube.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

Paulo Victor tem mostrado desempenho ainda mais surpreendente. Com apenas 69 jogos pelo Fla, já defendeu seis cobranças, sendo que sofreu apenas seis gols das 16 batidas.

“É gratificante o que estou vivendo. Tenho de trabalhar com humildade. Quanto mais você dá, mais é cobrado. É preciso personalidade para exercer bem o seu serviço”, disse Paulo Victor, que não aceita o componente sorte como sucesso.

“É competência, estudo, trabalho. A sorte aparece com o trabalho. A gente analisa quem vai bater. Não confio na sorte”, avisa.