Sem dor, Sheik treina e pode pegar o Vasco

Recuperado de lesão muscular, atacante é reforço para o clássico

Por O Dia

Rio - Sheik está pronto para ir à forra. Recuperado de um estiramento muscular na coxa direita, ele treinou ontem entre os titulares. No último jogo contra o Vasco no ano, amanhã, terá a chance de rir por último, após trocar farpas com o presidente cruzmaltino Eurico Miranda, mas ter que aturar a freguesia momentânea. Desta vez, porém, nada de provocações. Depois de perder duas partidas, mas ainda de olho no G-4, o Flamengo barrou as polêmicas durante toda a semana.

O grupo volta a treinar hoje na Gávea, quando Sheik será novamente avaliado. O zagueiro Wallace não estava no time esboçado ontem por Oswaldo de Oliveira. A exemplo de Sheik, o capitão desfalcou a equipe nos últimos três jogos por causa de uma lesão na coxa esquerda. César Martins formou a zaga com Samir na atividade. Paulinho foi o escolhido para o lugar de Everton, suspenso.

Emerson Sheik deve enfrentar o Vasco no MaracanãAndré Mourão / Agência O Dia

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

O treino foi fechado à imprensa. De novo. Segundo Márcio Araújo, não se trata de mistério. O Flamengo quer sossego, antes de tentar quebrar o jejum de cinco jogos sem vencer o Vasco. A busca por tranquilidade passa por dias sem controvérsias, diferentemente do que aconteceu nos últimos clássicos.

Antes do jogo decisivo pela Copa do Brasil, o garoto Jorge garantiu a vaga. Já Guerrero prometeu três gols, em entrevista à Rádio Globo. Nas semanas que antecederam a primeira partida, Sheik e Eurico roubaram a cena. A eliminação da competição para o rival ainda incomoda.

Nesta semana, esses jogadores passaram longe da sala de imprensa. Canteros, Almir, Alan Patrick e Márcio Araújo foram os escolhidos para dar entrevista. O último, ontem, garantiu não estar preocupado em interromper a reação esboçada pelo Vasco no Campeonato Brasileiro.

“Nosso maior estímulo é chegar ao G-4. Independentemente de quem vai cair, ou deixar de cair. Sem hipocrisia. Até porque a gente não vai ganhar nada se o Vasco cair. Nossa vitória é chegar ao G-4. É o que nos resta de bom. Não quero saber do Vasco, se vai cair, ou deixar de cair. O importante é a gente fazer o nosso trabalho, pensar no nosso clube. Sou torcedor e jogador, do Flamengo. Temos que esquecer essas coisas”, disse.

Retrospecto para ser esquecido

Se o jejum do Flamengo de cinco jogos sem vitória sobre o Vasco incomoda, o desempenho do time no Clássico dos Milhões é motivo de preocupação. Em três derrotas e dois empates, os rubro-negros marcaram apenas um gol. Márcio Araújo, porém, prefere esquecer o que passou, ao apontar as maiores dificuldades que o rival tem imposto ao time.

“Não queremos lembrar das partidas anteriores, não vai mudar. O que buscamos é daqui para frente. Atuações ruins contra o Vasco, deixamos no passado, e não vão se repetir”, afirmou.