Bandeira de Mello rebate mal-estar com Oswaldo e conta com o técnico em 2016

Presidente do Flamengo trata como 'fofoca' possibilidade de o treinador ficar no clube apenas até o fim desta temporada

Por O Dia

Rio - O Flamengo tenta colocar um ponto final na polêmica envolvendo o afastamento de Pará, Everton, Alan Patrick, Paulinho e Marcelo Cirino - punidos por uma festa após o treino de terça-feira. Nesta sexta, Oswaldo de Oliveira falou que pediu a sanção ao quinteto, mas achou o anúncio antecipado (ele gostaria de conversar com os atletas antes de o clube divulgar a pena). O presidente Eduardo Bandeira de Mello, presente na coletiva do técnico, tratou de minimizar qualquer tipo de mal-estar com o treinador.

Bandeira de Mello dá apoio a Oswaldo de Oliveira no FlamengoMárcio Mercante / Agência O Dia

"Isso é um assunto interno e será discutido internamente. Nós entendemos que deveríamos antecipar porque estava havendo um clamor muito grande, uma pressão muito grande inclusive por parte de vocês (imprensa). Já estava começando a surgir algum tipo de especulação totalmente desnecessário. Então, naquele momento, achamos prudente antecipar para que todo mundo ficasse sabendo. Não fica mal-estar nenhum. A intenção dele era conversar com os jogadores no dia seguinte. Nós achamos melhor antecipar. Não existe nenhum tipo de desentendimento. Estamos juntos trabalhando pelo Flamengo", declarou Bandeira.

LEIA MAIS: Oswaldo pede comprometimento e não alivia: 'Punição partiu de mim'

Na visão de Bandeira, Oswaldo de Oliveira está prestigiado no Flamengo. O presidente rebateu uma possível saída do técnico no fim do Brasileiro - Oswaldo tem contrato até dezembro de 2016.

"Ele é o treinador do Flamengo. Acho até que ele fala espanhol, inglês, é poliglota para responder algumas questões que têm sido colocadas. Não existe absolutamente nada. Estamos vivendo uma fase de muita fofoca, acho que é natural por conta do ambiente político do Flamengo. Sei que nos próximos 39 dias vão surgir fofocas e covardias a cada 15 minutos, então essa é apenas mais uma delas", disse Bandeira, garantindo Oswaldo em 2016.

Quem também ganhou o apoio do presidente do Flamengo foi o diretor-excutivo Rodrigo Caetano: "Gostaria de deixar bem claro que o Rodrigo Caetano não vai sair do Flamengo. Vai cumprir seu contrato. Ele me autorizou a falar isso aqui e só não está falando porque não pode. Está suspenso", encerrou.