Jogadores punidos eram reincidentes no Flamengo

Atletas suspensos desafinam há muito tempo, mas Oswaldo admite reintegrá-los

Por O Dia

Rio - Não foi apenas na festa de terça-feira que Pará, Everton, Alan Patrick, Paulinho e Marcelo Cirino desafinaram no comportamento. Além das reuniões regadas a álcool, os jogadores multados e afastados por tempo indeterminado costumam errar no tom nos momentos mais difíceis. Na reapresentação após a derrota para o Corinthians, por exemplo, ligaram o som no vestiário. Entre funks e pagodes, faziam piada com a abordagem de torcedores ao elenco no avião e no aeroporto. O técnico Oswaldo de Oliveira, no entanto, não descarta a volta deles ao time.

Oswaldo admite reintegrar jogadores afastadosGilvan de Souza / Flamengo / Divulgação

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

Nada que fosse novidade. O grupo punido na quinta-feira já havia sido advertido diversas vezes, inclusive com avisos de possíveis afastamentos, por adotar postura semelhante depois de outros tropeços. Em mais um caso em que o quinteto atravessou no samba, chegou à direção a informação de uma festa, quando a comissão técnica havia recomendado descanso, depois de treino pela manhã.

Foi consenso entre diretoria e departamento de futebol que a reincidência não poderia ficar impune. O diretor-geral Fred Luz ponderou sobre a pena além da multa, porque vê em alguns desses jogadores potencial de venda. Já Oswaldo de Oliveira e Rodrigo Caetano votaram pelo afastamento por um jogo.

“Eu queria puni-los. Partiu de mim. Eles erraram comigo. O que tenho pedido é comprometimento, entrega, esforço maior para voltar a jogar bem, ganhar”, disse Oswaldo, que se mostrou contrariado com o açodamento no anúncio da punição que pôs maior peso na falta de prazo para o fim do afastamento dos jogadores, o que pode gerar mais pressão, caso eles sejam reintegrados na próxima semana.

“As coisas aconteceram rapidamente. Não gostei da antecipação da notícia exatamente por isso. Iríamos afastar ontem (quinta-feira). Qualquer ser humano tem o direito de errar. De qualquer maneira, gosto deles, são excelentes meninos. Acredito, sim, que eles podem voltar a nos ajudar no campeonato”, completou.

A turma do pagode e do funk é mutável. Alan Patrick, contratado em junho, chegou por último. Anderson Pico, que está no futebol ucraniano, e Frauches, hoje no Macaé, já fizeram parte do grupo.

Desfalcado, porém definido

O técnico Oswaldo de Oliveira repetiu ontem, no Ninho do Urubu, o time titular montado na véspera. Luiz Antonio, que fará a função de Sheik no setor ofensivo, Guerrero e Gabriel, substituto de Everton, marcaram pelos titulares. Ayrton, mais uma vez, atuou na vaga de Pará, e Jajá, na de Alan Patrick.

Com cinco jogadores afastados — Pará, Everton, Alan Patrick, Paulinho e Marcelo Cirino estão treinando em turnos diferentes do grupo —, Oswaldo de Oliveira teve que escalar quatro atletas dos juniores no time reserva. Além de Sheik e Jonas, suspensos, César, Marcelo, Samir, Almir, Kayke completaram a equipe B.

Ontem à noite, a delegação rubro-negra embarcou rumo a Porto Alegre, onde enfrentará o Grêmio, no domingo, às 17h.