Com um a mais, Flamengo sofre, mas vence fora de casa e chega ao G4

Berrío fez o gol da vitória do rubro-negro, que não fez bom jogo, mas bateu o Bahia na Arena Fonte Nova

Por O Dia

Bahia - O Flamengo venceu a segunda seguida no Campeonato Brasileiro, neste domingo, e chegou ao G4. A vitória contra o Bahia, em Salvador, pela 10ª rodada do torneio, veio pelos pés do colombiano Berrío. Mas não sem sofrimento.

Com um a mais desde os 30 minutos do primeiro tempo, o Flamengo não encontrou espaços na defesa baiana e o gol da vitória só saiu após um chute errado do estreante Éverton Ribeiro, que teve participação discreta ao longo da partida.

O rubro-negro volta a campo pelas quartas de final da Copa do Brasil, nesta quarta-feira, contra o Santos, na Ilha do Urubu. Pelo Brasileirão, o próximo confronto é domingo, quando enfrenta o São Paulo, também em casa. Já o Bahia tem o clássico contra o Vitória, no domingo, fora de casa, para se recuperar no Brasileirão e sair da zona de rebaixamento.

Flamengo de Diego não teve facilidade, mas bateu o Bahia em SalvadorDivulgação/Flamengo

O jogo: sem achar espaços, Fla sofre mesmo com um a mais

A partida começou com o Bahia marcando em cima do rubro-negro. Aos 9 minutos, a primeira chance. Após roubar de William Arão, Zé Raphael chutou de fora da área e a bola passou à direita de Thiago. O Flamengo respondeu com um chute fraco de Guerrero aos 12, após passe de Diego. 

O jogo era truncado, com o Bahia com mais posse de bola. Aos 21, Zé Raphael novamente roubou a bola, dessa vez de Rafael Vaz, e cruzou. Rhodolfo tirou em cima da linha, evitando o primeiro gol do Tricolor Baiano.

Aos 30 minutos, um lance polêmico deixou o Flamengo com um a mais. O zagueiro Lucas Fonseca cortou a bola, mas atingiu Guerrero, que tentou revidar, mas errou. O defensor, que já tinha uma advertência anotada, caiu. O árbitro deu amarelo para os dois, deixando jogadores e torcedores do Bahia furiosos.

Com um a mais, o Flamengo passou a controlar o jogo, mas foi o Bahia que assustou primeiro. Aos 36, Zé Raphael, sempre ele, entrou na área contra três marcadores e conseguiu o chute, obrigando Thiago a fazer boa defesa. A resposta do Flamengo foi imediata, primeiro com finalização de Guerrero, depois em chute de Diego. Em ambas, o goleiro Jean não teve dificuldades para defender.

O Bahia não desistia e Allione quase marcou aos 44, parando em Thiago. Nos acréscimos do primeiro tempo, Trauco deu bom cruzamento e William Arão cabeceou para fora.

O segundo tempo começou com o Flamengo tentando achar espaços na defesa do Bahia, que por sua vez ameaçava em contra-ataques. O rubro-negro só chegava com cruzamentos ou em chutes de fora, como o de Trauco aos 16 minutos, que Jean defendeu tranquilamente. Aos 20, um chute de longe de Mendonza quase complicou Thiago. O goleiro tentou encaixar, mas a bola escapou e foi por cima do gol.

Sem criatividade, o time de Zé Ricardo não conseguia encaixar as jogadas e ainda tomava sufoco do Bahia nas bolas paradas. O gol da vitória só saiu aos 27. Um chute errado do estreante Éverton Ribeiro sobrou para Berrio, que fuzilou para as redes.

Empolgado o Fla marcou mais uma vez, com Guerrero, mas o juiz viu falta do peruano no zagueiro Rodrigo Becão e anulou. O time da Gávea parou por aí e não conseguiu mais encaixar as jogadas, ao mesmo tempo que não concedeu mais chances ao Bahia.

BAHIA 0 X 1 FLAMENGO

Arena Fonte Nova, Salvador (BA)

Público e renda: 21.929 pagantes / 22.270 presentes / R$ 730.534,50

?Árbitro: Igor Junio Benevenuto (MG)

Cartões amarelos: Lucas Fonseca, Matheus Reis (BAH); Guerrero, Everton Ribeiro, Rodinei (FLA)

Cartão vermelho: Lucas Fonseca (BAH)

Gol: Berrío, 27'/2°T (0-1)

BAHIA: Jean; Eduardo, Tiago, Lucas Fonseca e Matheus Reis; Juninho, Matheus Sales e Allione (Régis Souza, 17'/2°T); Vinícius (Rodrigo Becão, 32'/1°T), Zé Rafael e Edigar Junio (Mendoza, intervalo). Técnico: Jorginho.

FLAMENGO: Thiago, Rodinei, Rhodolfo, Vaz e Trauco; Márcio Araújo, Arão (Berrío, 18'/2°T) e Diego; Everton Ribeiro (Cuéllar, 31'/2°T), Matheus Savio (Vinicius Júnior, 11'/2°T) e Guerrero. Técnico: Zé Ricardo.