Luxemburgo mantém Fred como cobrador de pênaltis

Atacante promete caprichar mais daqui pra frente e segue com moral junto ao técnico do Fluminense

Por O Dia

Rio - Fred perdeu dois pênaltis seguidos pelo Fluminense, mas não a moral. Com 19 cobranças convertidas, ele continua prestigiado. Vanderlei Luxemburgo minimizou os desperdícios contra Cruzeiro e Ponte Preta e bateu o martelo: Fred não perderá o posto de cobrador oficial.

Fred segue em alta nas LaranjeirasDivulgação

Invicto nos pênaltis desde novembro de 2011, o camisa 9 havia errado pela última vez no dia 13 de outubro do mesmo ano. Naquele dia, Vanderlei defendeu a penalidade, mas o Flu venceu por 3 a 1 o Coritiba, pelo Brasileiro, no Engenhão.

“Se tiver pênalti no próximo jogo, o Fred baterá. Se tiver mais dois, três pênaltis, ele continuará batendo. É um cara experiente. Perder pênalti já aconteceu com tanta gente boa, como Zico, Roberto Dinamite... Eu não vou perder pênalti. Só acontece com quem está lá dentro. Uma hora a bola dele vai entrar”, afirmou o técnico Vanderlei Luxemburgo.

Depois de perder a invencibilidade de 11 pênaltis convertidos, Fred promete caprichar daqui para a frente. Afinal, não é a primeira vez que ele lida com o ‘passageiro’ fracasso. Em 2010, ele perdeu pênaltis contra Confiança e Botafogo.

Em 2011, contra Coritiba e Paraguai (pela Seleção, na Copa América). No entanto, sempre deu a volta por cima. Humilde, o capitão admite que bateu mal as últimas cobranças, mas garante que não mudou seu estilo.

À ESPERA DO JULGAMENTO

Fred encara as críticas com maturidade para superar o inferno astral pós-Copa das Confederações. Campeão e artilheiro da competição ao lado de Fernando Torres, da Espanha, ele ainda não conseguiu ajudar o Fluminense a engrenar no Brasileiro. Com dois gols em cinco partidas, o atacante ainda acumula um cartão vermelho, no clássico com o Vasco.

Garantido em campo pela força de um efeito suspensivo obtido pelo departamento jurídico do clube, Fred escapou do gancho de quatro partidas pela cotovelada em Jomar, mas continua na mira do Pleno do STJD. Até o dia 22, provável data do novo julgamento, o atacante estará livre para dar a volta por cima.