Com casa cheia, Fluminense promete embalar de vez no Brasileirão

Cristóvão escala a mesma formação pelo quinto jogo seguido e Tricolor busca a quina, contra o Vitória, para seguir na liderança

Por O Dia

Rio - Com promessa de casa cheia — foram vendidos 25 mil ingressos antecipadamente — e um retrospecto de quatro vitórias seguidas desde que assumiu o Fluminense, Cristóvão Borges reencontra hoje, às 21h, no Maracanã, um velho conhecido: o Vitória. Técnico do Bahia em 2013, o comandante do time das Laranjeiras confia no conhecimento sobre o seu antigo rival para ver o Tricolor somar três pontos e manter a liderança isolada do Campeonato Brasileiro.

“Ajuda o fato de eu ter treinado o Bahia. Alguns jogadores ainda estão lá desde o ano passado. A maioria eu conheço. O Vitória é uma equipe diferente das outras que enfrentamos, mais forte”, avaliou Cristóvão.

Além do conhecimento sobre rubro-negro baiano, o técnico do Fluminense também tem a seu favor o fato de contar com todos os titulares e de poder repetir a escalação pela quinta vez consecutiva.

Cristóvão Borges indica o caminho para o Fluminense ter a liderança do Brasileiro%3A jogar com raçaAndré Mourão / Agência O Dia

Às vésperas de mais um duelo importante, Cristóvão Borges garante que o grupo está empenhado em conquistar novo resultado positivo. E, por isso, promete que o Fluminense manterá, diante do Vitória, a postura dos últimos quatro jogos.

“A torcida pode esperar um time com a mesma alma, dedicado, aplicado, com entrega grande e procurando fazer o melhor. O Fluminense joga assim, para que seja convincente e consiga resultados”, afirmou.

Contra o Vitória, o ‘Time de Guerreiros’ espera contar com apoio maciço de sua apaixonada torcida, que foi em bom número ao treino de ontem, nas Laranjeiras, para incentivar os jogadores. Cerca de 100 pessoas marcaram presença na arquibancada, enquanto uma grande fila se formava ao redor do estádio na busca por ingressos.

À espera de reforços em todos os setores

Desde que chegou ao Fluminense, há um mês, Cristóvão Borges espera contratações para reforçar o elenco. Por enquanto, só chegou Edson, volante do São Bernardo, e o treinador, que aguarda por Henrique, do Bordeaux, pediu jogadores para todos os setores da equipe.

“Entreguei uma lista e falei sobre alguns jogadores. Todos os setores precisam ser reforçados. O campeonato é longo e vamos precisar de um elenco vasto para, quando tivermos a necessidade de substituir, fazer isso da forma mais natural”, afirmou o técnico do Fluminense.

O próximo nome a chegar às Laranjeiras deve ser Henrique, que está negociando com o Tricolor e nesta sexta se despediu pela internet dos torcedores do Bordeaux, clube que defendeu por nove anos. O zagueiro só pode jogar em julho, quando será aberta a janela de transferências do exterior.

“Não falo em carência na defesa porque o setor está respondendo bem. Tínhamos essa dificuldade faz um tempo atrás, mas melhoramos. Eles (os zagueiros) têm crédito”, disse Cristóvão, que não comentou a possível chegada de Henrique. “Não digo nomes para não atrapalhar a negociação.”

Técnico acalma Walter

Apesar do bom início de trabalho no Fluminense, Cristóvão Borges teve sua primeira saia-justa após a vitória (1 a 0) sobre o Palmeiras, quando Walter reclamou por não ter entrado em campo. O treinador minimizou a atitude do atacante e garantiu que conversou com ele para aparar as arestas e explicar o motivo de não tê-lo utilizado no Pacaembu.

“O Walter, como todos os outros, quer jogar. Eu sabia que, naquele momento, a intenção dele era ajudar. Chamei para conversar e expliquei o olhar do treinador. Eu disse que sabia o porquê de ele ter feito aquilo e expliquei meu pensamento”, disse Cristóvão Borges.

No último treino do time, ontem, nas Laranjeiras, Walter recebeu o apoio da maioria dos torcedores que acompanharam a movimentação. Só um tricolor que não gostou do desabafo contra o técnico optou por gritar para que o atacante parasse de reclamar e “jogasse bola”.