Fluminense recebe o Palmeiras e precisa vencer para recuperar a paz

Crise explode de vez com invasão da torcida nas Laranjeiras

Por O Dia

Rio - Na véspera do confronto com o Palmeiras, nesta quarta-feira, às 19h30, no Maracanã, os funcionários do Fluminense viveram um dia atípico nas Laranjeiras. O protesto iniciado durante o desembarque na noite de segunda-feira, no Aeroporto Internacional Tom Jobim, teve continuidade na sede do clube, com invasão de um torcedor no gramado, interrupção do treinamento e pedido de reforço policial para garantir a segurança dos atletas na saída do clube.

Enderson Moreira está pressionado no FluminenseMárcio Mercante / Agência O Dia

Com faixas e entoando gritos de repúdio, o grupo de aproximadamente 50 pessoas criticou Fred, Gum e ainda questionou a gestão do presidente Peter Siemsen e do vice de futebol Mário Bittencourt em meio à crise da equipe no Brasileiro. E foi além, exigindo a demissão do técnico Enderson Moreira. Bittencourt lamentou o episódio - que considera ter motivação política - em um momento tão delicado para a equipe, que não sabe o que é vitória há seis rodadas.

VEJA MAIS: Confira a tabela e classificação do Campeonato Brasileiro

“Nas reuniões que nós tivemos, de domingo para cá, inclusive hoje (terça-feira), e não foi reunião para decidir nada, ele (Siemsen) se mostrou alinhado para seguirmos o trabalho. Em nenhum momento pediu para tirar o treinador. Ele é o presidente, pode mudar de opinião. Se acontecer, vai nos comunicar. Estamos cem por cento alinhados”, disse Mário Bittencourt.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Fluminense

Como o estatuto do Fluminense garante o acesso de todos associados às dependências das Laranjeiras, a diretoria não descarta realizar treinos longe da sede nos próximos dias. A Escola de Educação Física do Exército, na Urca, é opção. Preocupado, Enderson Moreira mudou os planos no treino desta terça-feira e evitou a exposição dos jogadores mais cobrados no protesto, casos de Fred e Gum.

Após a invasão de um torcedor, que chegou a conversar com Antônio Carlos e Edson, a atividade foi interrompida. Os jogadores bateram em retirada para o vestiário e Ronaldinho, por precaução, nem sequer voltou a campo quando a situação foi normalizada.

Com a ajuda dos seguranças do clube e do reforço policial, os jogadores conseguiram deixar a sede ilesos, mas em estado de alerta e cientes de que apenas a vitória sobre o Palmeiras nesta terça-feira à noite poderá devolver a paz perdida nas últimas rodadas.

R-10 e Cícero lutam por vaga de Scarpa

Com a equipe definida para enfrentar o Palmeiras, Enderson Moreira preferiu não antecipar a escalação, mas confirmou Cícero e Ronaldinho na lista de relacionados. Após a pausa de pouco mais de uma semana para apurar a forma física, a dupla disputa a vaga de Gustavo Scarpa, que será preventivamente poupado para evitar lesões musculares. Com a suspensão de Gum, Antônio Carlos será o substituto.