Atentados suicidas em Bruxelas fazem vítimas de mais de 40 países

Nove estrangeiros foram identificados até agora, disse um porta-voz do Ministério do Exterior belga

Por O Dia

Bruxelas - De belgas a norte-americanos, britânicos, alemães e indianos, os atentados suicidas em Bruxelas na terça-feira deixaram vítimas de mais de 40 países. Pelo menos 31 pessoas morreram e 316 foram feridas nas explosões de duas bombas no aeroporto de Bruxelas e outra na estação de metro Maelbeek entre o centro da cidade e sede da União Europeia.

Em Bruxelas homenagens são feitas em vários locais Reuters

O primeiro-ministro belga, Charles Michel, disse que há mais de 40 nacionalidades entre as vítimas. Nove estrangeiros foram identificados até agora, disse um porta-voz do Ministério do Exterior belga. "Este é um número preliminar, o processo de identificação ainda está em curso e pode levar algum tempo. Temos um peruano, dois norte-americanos, um britânico, três holandeses, um chinês e um francês", disse o porta-voz Didier Vanderhasselt.

Loubna Lafquiri, 34 anos, mãe de três e professora de ginástica em uma escola islâmica em Bruxelas, acredita-se tenha sido morta na estação de metro junto com outras cerca de 20 pessoas na terça-feira pela manhã. Um casal de irmãos da Holanda, que moravam em Nova York, também está entre os mortos, disse a família nesta sexta-feira.

Muitas vítimas ainda não foram identificadas.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência