Nutricionistas listam alimentos populares que trazem grandes benefícios

O DIA pediu a profissionais da área para listar alguns produtos indispensáveis à alimentação de quem quer cuidar da saúde

Por O Dia

'A laranja e a goiaba são ricas em vitamina C e fibras. O ideal é consumi-las frescas%2C em vez de sucos e refrescos'. Matheus Rocha%2C nutricionistaDivulgação

Rio - Na correria do dia a dia, é fácil se entregar a alimentos práticos, que quase nunca são saudáveis. Biscoitos e outros produtos industrializados, por exemplo, não fazem parte da dieta indicada por nutricionistas. O DIA pediu a profissionais da área para listar alguns produtos indispensáveis à alimentação de quem quer cuidar da saúde — levando em conta, obviamente, a viabilidade financeira dos alimentos. São, portanto, opções boas e baratas.

O nutricionista Matheus Motta, do Vigilantes do Peso, recomenda frutas e outras opções tradicionais da alimentação brasileira. A banana, por exemplo, é apontada por ele como uma boa fonte de energia, por causa dos carboidratos. E a fruta também contém fibras e minerais – como o potássio, importante para evitar cãimbras. A laranja e a goiaba, ricas em vitamina C e fibras, também são indicadas pelo nutricionista. “O ideal é consumi-las frescas, em vez de sucos e refrescos”, completa Motta, que elege a água de coco como ótima fonte de hidratação — ela repõe minerais e é fonte de potássio, explica.

Para Motta, a dupla arroz e feijão é essencial por serem alimentos que se completam. “Além de serem fonte de minerais, fibras e vitaminas, a junção dos dois na refeição é uma importante complementação proteica. O arroz é pobre em lisina e rico em metionina e cistina (aminoácidos essenciais), e o feijão é o oposto. Por isso eles se complementam como uma boa fonte de proteína vegetal”, esclarece o nutricionista, que sugere ainda outros produtos típicos da cozinha brasileira: mandioca, milho, peixe de carne branca e frango.

Outras frutas, estas indicadas pela nutricionista Bruna Lyrio, da Clínica Tostes, também trazem benefícios. Ela destaca, por exemplo, a tangerina. “Além de conter vitamina C, possui no seu albedo (parte branca) fibras solúveis e insolúveis que ajudam a fornecer saciedade”, diz. Para ingerir proteínas, ela elege o ovo como uma ótima opção. “Não existe a necessidade de retirar a gema, como tantos fazem, pois vários estudos mostram que ele não é capaz de aumentar a taxa do colesterol-LDL (colesterol ruim)”, explica.

Muito além do arroz com feijão

Uma pesquisa desenvolvida pelo Instituto Datafolha para a Associação das Empresas e Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador (Assert) mostra que a procura por alimentos saudáveis está crescendo no Brasil. Produzido entre 14 e 22 de dezembro de 2015 e entre 6 e 16 de janeiro deste ano, o levantamento fez entrevistas em 51 cidades, das quais 23 são capitais. Os pesquisadores passaram por restaurantes, bares, lanchonetes e padarias, e realizaram 4.560 entrevistas com proprietários de estabelecimentos ou responsáveis por informações sobre preços.

Mais da metade dos consultados (56%) apontou que os clientes estão cada vez mais interessados em buscar uma alimentação saudável. Do total entrevistado, 53% notaram aumento na demanda por frutas; 61% observaram que os clientes estão comendo mais verduras e legumes; e 65% repararam que cresceu o consumo de sucos naturais. Já a preferência pela combinação do arroz com feijão, prato tradicional e queridinho dos brasileiros, não apresentou, segundo 58% dos consultados, nenhuma mudança. Continua requisitado.

O poder de combater a depressão

Estudo publicado ano passado na revista científica ‘BMC Medicine’ mostrou que uma dieta rica em vegetais, legumes, peixes, castanhas e nozes pode ajudar a evitar a depressão. A pesquisa ressalta, ainda, a importância de se evitar o consumo de carnes processadas e alimentos de fast food. Os pesquisadores, com base na Universidade de Las Palmas de Gran Canaria, na Espanha, apontam para o alto consumo de micronutrientes — vitamina B, ácido fólico e zinco, por exemplo —, que estimulam a saúde do cérebro, como ponto importante na relação entre a alimentação e a doença.Uma alimentação menos nutritiva poderia causar mais riscos.

O que não pode faltar no cardápio 

Banana

Importante fonte de energia, por causa dos carboidratos, além de fibras e minerais, como o potássio, que agem na contração muscular, ajudando a evitar cãimbras

Iorgute

Rico em cálcio, que ajuda no controle da pressão arterial e na diminuição da gordura abdominal, além de atuar na saúde dos ossos. O iogurte possui ainda bactérias benéficas para a saúde intestinal.

Mandioca

Rica em carboidratos, é uma importante fonte de energia. Existem derivados, como a tapioca, que podem substituir preparações que utilizem pão para pessoas com dieta restrita ao glúten.

Peixes de carne branca

Os peixes de carne branca são, geralmente, fontes de proteína magra, que, por sua vez, são pobres em gordura. São ideais para consumo em dietas de emagrecimento.

Milho

Fonte de vitamina E, carotenóides e fibras, quando consumido o grão e derivados. Evitar preparações com muito açúcar. O ideal é consumi-lo cozido: pipoca estourada em ar quente (sem óleo) e polenta cozida. 

Ovo

Excelente fonte de proteína de alto valor biológico. Também possui vitaminas A e D, zinco, cálcio e vitaminas do complexo B. A gema possui, ainda, colina e gorduras mono e poli-insaturadas.

Abacate

Baixo índice glicêmico. Possui ômega 9, vitamina E, fibras solúveis, glutationa e ainda pode auxiliar no emagrecimento devido ao seu alto poder de saciedade e baixo índice glicêmico.

Laranja

Frutas ricas em vitamina C (antioxidante) e fibras. O ideal é consumi-las frescas, substituindo sucos e refrescos. Auxiliam no bom funcionamento do intestino e fornecem saciedade.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência