Telefônica Brasil poderá rever cronograma de oferta de ações

Empresa esperava precificar a oferta em 16 de abril, com início dos negócios dos novos papéis na Bovespa quatro dias depois

Por O Dia

São Paulo - A Telefônica Brasil informou nesta segunda-feira que poderá rever cronograma estimado para sua oferta pública de distribuição primária de ações, em atendimento a exigências da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A empresa disse ter sido comunicada pela CVM de que a autarquia formulará exigências para a concessão do registro da oferta, o que implicará em um reenvio do prospecto preliminar e novo aviso ao mercado sobre a operação.

"A companhia e as instituições intermediárias da oferta prontamente divulgarão novo prospecto preliminar e novo aviso ao mercado, confirmando ou revendo o cronograma estimado da oferta", disse a empresa.

A Telefônica Brasil dará prazo de cinco dias úteis para os investidores que apresentaram pedidos de reserva de ações no âmbito da oferta confirmem a manutenção de seus pedidos.

O Conselho de Administração da Telefônica Brasil aprovou no fim de março a realização de uma oferta pública primária de ações de pelo menos R$ 15,8 bilhões. A maior parte do dinheiro será usada para financiar a compra da operadora GVT.

A oferta envolverá a emissão de 113.049.225 ações ordinárias e 219.950.615 papéis preferenciais em lote inicial, que poderá ser acrescido de lotes adicional e suplementar a depender da demanda de investidores.

Pelo cronograma original, a Telefônica Brasil esperava precificar a oferta em 16 de abril, com início dos negócios dos novos papéis na Bovespa em 20 de abril.

As ações preferenciais da Vivo tinham queda de 0,12% às 11h55. O Ibovespa subia 1,11%.

Últimas de _legado_Notícia