Nexxera prevê crescer com pequenas e médias empresas

Catarinense do ramo de tecnologia projeta superar a marca de R$ 1 bilhão de receita nos próximos três anos, ampliando atuação entre pequenas e médias empresas

Por O Dia

O grupo catarinense Nexxera, especializado em transmissão de dados financeiros em ambiente digital e que tem mais de 70 instituições financeiras e as principais operadoras de cartões homologadas, com clientes como Caixa Econômica Federal, Danone, Walmart, Souza Cruz e BRF, planeja um crescimento de 16 vezes nos próximos três anos, para alcançar um faturamento de R$ 1 bilhão. A companhia fechou 2014 com um faturamento de R$ 60 milhões.

“Falamos em ser o Google do mercado financeiro, no sentido de estarmos presentes em todas as transações”, diz o presidente da Nexxera, Edson Silva, que conduz a empresa ao lado de seu irmão e vice-presidente Edenir Silva. Eles têm ainda um terceiro sócio. “Demos a sorte de nascer Florianópolis, que começa a se apresentar como Vale do Silício do Brasil, com várias empresas de tecnologia. É um polo de games, por exemplo”, completa.

A crise econômica, acrescenta ele, exige cautela, mas ainda não afeta os resultados da companhia, pela característica dos seus produtos, que muitas vezes ajudam às corporações a reduzir custos.

“Nossos produtos são vencedores na época da bonança e da escassez também. Nosso modelo é favorável a isso. Mas estamos atentos, achamos que em alguns momentos podemos reduzir margens, mas não vamos deixar de crescer”, destaca. Com sede em Florianópolis e escritório em São Paulo, a Nexxera chegou recentemente à Miami (EUA).

Focada em grandes clientes, que hoje respondem por 95% do faturamento do grupo, a principal aposta é um produto voltado para as pequenas e médias empresas, e microempresários individuais. Chamado de Nexxcity,o serviço online de gestão financeira reúne diversos serviços financeiros e de gestão, que têm como objetivo centralizar todas as operações em um único canal. Um dos serviços oferecidos com o Nexxcity é um novo leitor de cartão de crédito e débito.

Responsáveis por mais de 70% da geração de empregos no país e por 25% do PIB brasileiro, as MPEs ainda têm dificuldade, em função do porte e das limitações financeiras, para utilizar as ferramentas tecnológicas que possam melhorar a sua gestão.

“Queremos ajudar a organizar a vida, gerar renda e organizar o fluxo de caixa deles, uma das maiores causas de quebra das empresas, segundo o Sebrae”, diz Silva. A Caixa Econômica e o Banco do Nordeste já oferecem o Nexxcity em projetos para esse público.

A meta é chegar a um milhão de MPEs, fazendo com que elas, junto com as pessoas físicas, sejam responsáveis pela maior parte do faturamento da empresa. “Estamos trabalhando em nichos de mercado como taxistas e cabeleireiros.Queremos que as pequenas respondam por 25% do nosso faturamento no futuro”, diz o executivo.

De acordo com ele, a empresa planeja ainda ter 10 milhões de clientes pessoa física com serviços como o Yupee, espécie de carteira eletrônica que permite também que o usuário receba suas faturas de contas, como luz e água, e as pague no próprio aplicativo. “Estamos negociando para se pagar com cartão de débito via celular, uma espécie de PayPal do mundo físico”, finaliza.

Últimas de _legado_Notícia