Comerciante que agrediu mulher com cotovelada brutal no rosto é julgado

As câmeras de segurança do clube registraram o momento da agressão. O caso será levado a júri popular

Por O Dia

São Paulo - Anderson Lúcio de Oliveira, de 35 anos, que agrediu com uma cotovelada no rosto a auxiliar de produção, Fernanda Regina Cesar, 30, há um ano, começa a ser julgado nesta terça-feira, no fórum de São Roque, em Sorocaba, São Paulo. A mulher teve traumatismo craniano e ficou em coma por 16 dias na UTI do Regional de Sorocaba. A vítima, o réu e oito testemunhas já deram seus depoimentos durante o julgamento.

LEIA MAIS:

Mulher agredida com cotovelada em São Paulo deixa UTI

Mulher que teve traumatismo craniano após cotovelada recebe alta de hospital

Mulher sofre traumatismo craniano após ser agredida por homem no meio da rua

Anderson Oliveira começa a ser julgado nesta terça-feira, no fórum de SorocabaReprodução Globo News

Anderson Lúcio, conhecido como Tingo, chegou ao fórum de São Roque, por volta das 9h da manhã. Serão ouvidos, ainda nesta terça-feira, sete testemunhas de acusação e sete de defesa. De acordo com a TV Tem, sete jurados irão decidir se o réu é culpado ou não: seis mulheres e um homem. Anderson está preso no Centro de Detenção Provisória de Sorocaba, e é acusado de agredir a auxiliar de produção. Ele vai responder por tentativa de homicídio.

O julgamento deve durar entre 10h e 12h. E, até o momento, o júri já ouviu o depoimento de oito testemunhas. Dentre elas, a vítima, Fernanda Regina - que disse não se lembrar da pancada- e dois bombeiros que atenderam a mulher. Já falaram também o outro homem, identificado como Fernando, que aparece nas imagens ao lado do comerciante, discutindo com a mulher. O juiz mostrou as imagens da agressão aos jurados e testemunhas.

Em depoimento, a madrasta de Fernanda, Helena Marcos, de 56 anos, relatou que os médicos que cuidaram de Fernanda disseram que ela corria risco de morte durante os 16 dias que ficou internada, com um coágulo de sangue na cabeça. Ela ainda contou que a jovem já foi internada por sete vezes por uso de drogas. - no depoimento de Fernanda, ela afirma que chegou a usar maconha, crack e lança-perfume, mas ressaltou que fazia 2 ou 3 anos que não era mais internada por isso-.

Anderson também falou ao júri e se defendeu afirmando que não tinha a intenção de machucar Fernanda. "Nunca passou pela minha cabeça bater nela. Nada foi premeditado ali", disse o réu.

Entenda o caso

A jovem Fernanda Regina Cézar, de 30 anos, foi agredida com uma cotovelada no rosto, na madrugada de 16 de agosto de 2014, pelo comerciante Anderson Lúcio de Oliveira, de 35. Após um desentendimento, o suspeito deu uma cotovelada brutal no rosto da jovem e após golpe, ela caiu no chão. A ação ficou registrada em um vídeo de uma câmera de segurança de uma loja local.

Fernanda foi agredida pelo comerciante após uma discussão. Ela sofreu traumatismo craniano e ficou em coma por 16 diasReprodução Internet

Nas imagens, a auxiliar de produção pode ser vista na frente do clube quando um homem aparece e os dois começam a discutir. Em seguida, a vítima sofre o golpe violento. Segundo a Polícia Civil, o agressor é um comerciante conhecido na região. Ele deixou o local do crime assim que outras pessoas se aproximaram para socorrer a vítima.

A jovem foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e levada um hospital do município. Por conta da gravidade, ela foi transferida para o Conjunto Hospitalar de Sorocaba, onde deu entrada na UTI. Depois que os bombeiros resgataram Fernanda, o suspeito entrou em um carro com colegas e foi embora.

O suspeito foi reconhecido por parentes de Fernanda e está preso na cadeia de São Roque. Anderson Tingo de Oliveira confessou o crime e justificou a agressão dizendo que a mulher havia ofendido seu pai.

Últimas de _legado_Brasil