Consumo do café cresce no Brasil e aumenta a exigência por qualidade

Há espaço para novas combinações de grãos, redes de cafeterias e máquinas de expresso importadas

Por O Dia

Rio - O consumo de café cresceu no país nas últimas décadas e o brasileiro tem se tornado mais criterioso com a bebida. Em meio a conjuntura, o mercado está em expansão, com novas combinações de grãos, cafeteiras mais modernas e o surgimento de cada vez mais estabelecimentos especializados na bebida.

Sócia do Caffe %26 Sapori%2C Márcia Oliveira ressalta a importância da especialização. “Todo negócio exige um investimento e quem trabalha com café tem que estudar"%2C dizUanderson Fernandes / Agência O Dia

O Brasil é o maior produtor e exportador do produto e está no segundo lugar no ranking do consumo de café no mundo. Perde apenas para os Estados Unidos. De acordo com o deputado federal Silas Brasileiro (PMDB/MG), presidente executivo do Conselho Nacional do Café (CNC), o consumo do grão no país pode chegar em breve ao primeiro lugar.

“O consumo doméstico de café saltou de seis milhões de sacas, na década de 80, para cerca de 21 milhões atualmente. Dentre os principais fatores que permitiram essa alta no consumo, destacamos o investimento em qualidade, que cativou o consumidor nacional”, avalia o parlamentar.

Tendo em vista as oportunidades de negócios na área do café, Márcia Oliveira, de 38 anos, decidiu abrir com o marido, o chef de cozinha italiano Renato Ialenti, de 43 anos, o Caffe & Sapori, em Copacabana. De acordo com ela, ainda há muito espaço no mercado, mas é preciso estar capacitado para aproveitar as oportunidades.

“O proprietário tem que conhecer o produto, precisa saber tirar um bom café expresso. E o Rio oferece variedade de cursos nessa área”, afirma.

Café expresso ganha mais espaço na mesa

Com a busca do cliente por qualidade%2C cresce o consumo de cafés expresso e gourmetFelipe O`Neill / Agência O Dia

Os nichos de mercado que envolvem o café são os mais diversos e englobam tanto o consumo doméstico, quanto a prestação de serviços e o aluguel de equipamentos para bares, restaurantes, hotéis e estabelecimentos comerciais. É o caso da Lavazza, que se especializou em oferecer soluções para empresas. Atualmente, a multinacional tem 16 mil clientes no Brasil, sendo 4.700 no Rio.

Gerente de vendas da Lavazza, Cláudia Gonçalves explica que a procura por esses serviços vem crescendo de forma considerável. “Os clientes finais estão se especializando e por isso se tornam mais exigentes, querem um café bem tirado”, afirma.

Em meio ao crescimento do consumo da bebida no país, o café expresso ganha cada vez mais espaço. Com sabor forte e encorpado, esse modo de preparar a bebida já está presente na maioria dos estabelecimentos da cidade. Para Aline Ribeiro, responsável pelo Centro de Treinamento Lavazza, não há certo e errado com relação ao café. Vale o que agradar ao paladar.

Sócia no Caffe & Sapori, Márcia Oliveira conta que investiu junto com o marido a cultura do café expresso da Itália. “O brasileiro está reaprendendo a tomar café, pois tem viajado mais, busca novidades”, afirma. De acordo com ela, há muitas oportunidades para quem deseja investir em empreendimentos que envolvam o café. “O público é variado, desde jovens a idosos. Se a cafeteria oferecer um produto de qualidade, com bons preços e bom atendimento, o negócio tem tudo para dar certo”, incentiva.

Além disso, o consumidor tem buscado levar para a casa a qualidade dos cafés vendidos na rua. Com isso, surgem variedades de cafés gourmet nos supermercados, além de cafeteiras como as da Nespresso, que já tem dez lojas no Brasil. Presidente da Cooperativa de Profissionais em Café Expresso do Rio, Rose Margareth Corpas diz que o brasileiro está mais criterioso. “As pessoas estão fugindo do cafezinho tradicional e pagam mais por um café diferenciado”, conta.

A rede de cafeterias Starbucks se instalou no Brasil em 2006 e já tem 61 lojas espalhadas pelo paísDivulgação

Festival reúne café, cultura e tradição no Vale do Paraíba

Interessados em conhecer mais sobre o café terão a oportunidade de ver de perto algumas das mais tradicionais fazendas do estado do Rio, além de desgustar diversas combinações da bebida, no Festival Vale do Café. A 11ª edição do evento acontece até o próximo dia 28, no município de Vassouras, na região do Sul Fluminense.

Entre os dias 19 e 27 acontece o Café Cultural, com diversas aulas de degustação, entre elas, combinações do café com bebidas que compõem os drinks clássicos. O festival conta ainda com diversas atrações culturais, como concertos de música nas fazendas da região do Vale do Café, que acontecem até dia 28, e espetáculos em praças públicas.

A programação completa do festival pode ser conferida no site www.festivalvaledocafe.com. Para mais informações turísticas, basta entrar em contato com a organização por meio do endereço: rtfestivalvaledocafe@terra.com.br.

Novidades

Curso de café - A Cooperativa de Profissionais em Café Expresso do Estado do Rio (Baryx) oferece a partir de agosto um curso com duração de quatro horas para amantes do café. Custa R$ 60 e as aulas têm como objetivo atender às necessidades dos consumidores em conhecer mais sobre a bebida. Além disso, a cooperativa oferece cursos regulares de capacitação. Mais informações por meio do site www.baryxcooperativa.com.br.

Starbucks - A rede de cafeterias norte-americana Starbucks inaugurou este mês duas novas lojas no Rio, uma no Norte Shopping, na Zona Norte, e outra na Avenida Nossa Senhora de Copacabana, na Zona Sul. A rede já possui 61 franquias espalhadas pelo Brasil, sendo 15 no Rio.

Formação de baristas - A Grão Mestre Consultoria Técnica de Café oferece treinamento para formação de baristas, além de cursos de classificação e degustação. Para produtores industriais, empresa também analisa e emite laudos técnicos para café em grão cru, grão torrado e torrado e moído. Outras informações disponíveis em www.graomestrecafe.com.br.

Casa do barista - A Casa do Barista, em Santa Teresa, oferece formação para baristas, além de prestação de serviços de consultoria. Mais informações em www.casadobarista.com.br.

Sabor inusitado - O Caffe & Sapori oferece aos clientes uma iguaria inusitada. É o café Jacu, preparado a partir de grãos expelidos nas fezes de uma ave rara, que produz uma bebida doce e com aroma de chocolate. A xícara custa R$ 8 e o pote com 250 gramas custa R$ 150.

Centro de treinamento - A Lavazza inaugurou recentemente um Centro de Treinamento para capacitar tanto profissionais, quando amadores, com relação ao preparo do café expresso. São dois dias de curso, a R$ 690. As turmas são compostas de até oito pessoas e interessados devem entrar em contato por meio do endereço trainingcenterrj@lavazza.com.br.

Últimas de _legado_Economia