Cidade de São Gonçalo terá terminal pesqueiro em 2015

Principal grupo espanhol de processamento de pescado, Jaelsa Rianxeira vai se instalar no local. Condomínio industrial vai gerar 10 mil empregos em cinco anos

Por O Dia

Rio - Até meados de 2015, o município de São Gonçalo ganhará um terminal pesqueiro e fábrica de beneficiamento de pescado. O processo de desapropriação do terreno de 100 mil metros quadrados está sendo avaliado pela Casa Civil do governo do Estado, que investirá R$5 milhões. Em cinco anos, o bairro de Itaoca será a sede da Cidade da Pesca, empreendimento de 600 mil metros quadrados voltado para o segmento e que irá gerar 10 mil empregos diretos e indiretos na região.

Ministério da Pesca lançou a Semana do Peixe para aumentar o consumo per capita em todo o paísAgência O Dia

“O estado acaba de fechar uma parceria com o grupo espanhol Jealsa Rianxeira, um dos maiores do mundo, para instalar ali a sua fábrica de processamento de pescados, por meio da sua filiada Crusoe Foods”, comemora o secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca do Rio, Felipe Peixoto.

PÍER DA PETROBRAS

A concretização do condomínio industrial, com a instalação de empresas do setor pesqueiro, está sendo possível graças ao investimento da Petrobras, de R$ 200 milhões, que promove a dragagem do local e também instalará um píer na praia da Bica para atender ao Comperj. A urbanização e a recuperação da estrada até a BR 101 ficará por conta do Estado.

“Só a Crusoe vai gerar 1.500 empregos e processar cerca de 200 toneladas de sardinha por dia. Com a Cidade da Pesca buscamos garantir ao Rio uma área reservada à atividade, com uso e ocupação de forma sustentável. Sem dúvida, um projeto que vai impulsionar a atividade econômica fluminense, terceiro estado em produção de pescado”, explicou o secretário.

Aumenta o consumo de peixe no país

O Rio de Janeiro ocupa a terceira posição em produção de pescado, ficando atrás de Santa Catarina e do Pará. Com a Cidade da Pesca, o Governo do Estado espera aumentar a produção, além de requalificar a atividade pesqueira fluminense. De acordo com o Ministério da Pesca, atualmente se consome muito mais pescado no país do que em anos anteriores.

Segundo dados do Ministério da Pesca e Aquicultura, a média por habitante ano no Brasil alcançou 11,17 quilos em 2011, 14,5% a mais do que em relação ao ano anterior. Já entre 2009 e 2010 o ritmo de crescimento da demanda foi de 7,9%. Em dois anos (2010 e 2011) o crescimento da demanda por peixes e frutos do mar aumentou em média 23,7%.

“Nos últimos anos a condição de vida dos brasileiros melhorou, a moeda readquiriu o poder de compra e a população passou a procurar por alimentos mais saudáveis para consumo, sendo o pescado uma excelente opção”, avalia o secretário de Infraestrutura e Fomento do Ministério da Pesca, Eloy de Sousa Araújo.

Para o executivo, os brasileiros já estão próximos de consumir pescado na média mínima recomendada pela Organização Mundial da Saúde, de 12 quilos por habitante/ano.